terça-feira, 18 de Outubro de 2016 10:45h Pollyanna Martins

Alunos desocupam a UEMG Divinópolis

Os estudantes ocuparam a universidade na noite do dia 3 de outubro e reivindicavam a recondução do corpo docente e administrativo da universidade para o próximo ano e um cronograma fixo para um concurso

Os alunos do campus de Divinópolis da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) desocuparam a universidade na manhã de ontem (17). O campus foi ocupado na noite do dia 3 de outubro e os estudantes reivindicavam a recondução do corpo docente e administrativo da universidade para o próximo ano, além de um cronograma fixo para um concurso. Conforme o estudante de história, Samuel José Santiago, o campus foi desocupado na manhã de ontem, após o governo garantir a recondução automática do corpo docente e administrativo da universidade e a publicação do edital do concurso. “Nós nos reunimos na SECTES [Secretaria de Ensino Superior da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior] com o secretário geral do governo, Odair Cunha, e foi decidida a recondução dos professores até o concurso, e o edital do concurso deve ser publicado em dezembro”, informa.
Esta é a segunda vez que os alunos ocupam o campus de Divinópolis neste ano exigindo um concurso para os professores. Em janeiro, os estudantes fizeram uma ocupação de 24 horas, exigindo do governo posicionamento sobre o início das aulas, a realização de um concurso público para a efetivação de professores e a permanência dos atuais professores na universidade, fazendo valer o acordo feito em 2014. Na época, os alunos decidiram pela ocupação quando o Governo publicou um edital para a contratação de novos professores e este processo comprometeria então o início do ano letivo dos estudantes. Desta vez, os estudantes ocuparam o campus para pressionar o governo a fazer a recondução automática do corpo docente e administrativo da universidade.
Em um vídeo postado em uma rede social, no final de setembro, três estudantes da UEMG explicam o motivo da manifestação. Segundo o estudante da universidade, João Faria, na penúltima semana de setembro, duas assembleias foram realizadas para discutir a recondução do corpo docente e administrativo da universidade para o próximo ano e a necessidade de um cronograma fixo para um concurso. De acordo com o estudante, se não houver a recondução automática do corpo docente e administrativo, todos os trabalhos que foram desenvolvidos na UEMG em 2016, como o ensino, pesquisa e extensão, serão interrompidos. “Todo final de ano, se não houver essa recondução [automática] até que seja feito o concurso público, a gente sempre vai trocar o corpo docente, sempre vai interromper o ensino, as pesquisas e extensão que foram desenvolvidas desde que nos tornamos UEMG”, explica.
A ocupação feita no início de outubro durou 14 dias e, durante o movimento, os estudantes saíram às ruas de Divinópolis para manifestarem. Ainda de acordo com Samuel, os alunos se reuniram na noite de ontem para o nivelamento das informações e deliberações acerca de próximas ações.

 

SECTES
A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) informou, por meio de nota, que, a partir da nota jurídica emitida pela Advocacia Geral do Estado (AGE), haverá designação direta, por meio de publicação de uma Resolução Conjunta, dos professores abrangidos pela Lei 20.807, de 23/07/2013. Os professores que atuavam nas fundações antes do processo de estadualização serão automaticamente reconduzidos ao cargo.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.