sábado, 3 de Setembro de 2016 11:54h Jotha Lee

Candidatos a vereador impugnados pelo Ministério Público são deferidos pela Justiça Eleitoral

JOTHA LEE
jotalee@gazetaoeste.com.br

 

Há 20 dias, o Ministério Público Eleitoral (MPE) de Divinópolis pediu a impugna­ção de vinte candidatos à uma vaga na Câmara Municipal. Entre os impugnados pelo MPE, estavam oito candidatos pelo PMDB, entre eles o atual vereador, Delano Santiago. A alegação para o pedido de impugnação é que eles não teriam cumprido o prazo de filiação exigido pelo estatuto do partido. Entretanto, através de documentação encami­nhada à Justiça Eleitoral, o PMDB comprovou a legali­dade da filiação de todos os concorrentes e, no início da semana, o juiz José Antônio Maciel, titular da 103ª Zona Eleitoral, aceitou a defesa dos candidatos.

Além de Delano Santiago, também tiveram os registros deferidos os candidatos pelo PMDB: Valdinei Severo de Mi­randa, Décio Gualberto Fon­seca, Adriana Santos Oliveira, Douglas Júlio da Guarda, Olga Batista de Castro, Ronaldo José Trindade Júnior, e Clever Greco Bezito.

As candidatas Josefa Maria da Silva (PEN), Sônia Apareci­da Ferreira (PROS) e Gabriella de Lima Campos (PSDB), que também haviam sido impug­nadas pelo Ministério Público, também tiveram seus registros deferidos pelo juiz José Antô­nio Maciel.

Outros oito candidatos, cuja impugnação foi pedida pelo MPE, ainda aguardam julgamentos e todos são do PT do B. São eles: Patrícia Apareci­da de Almeida, Ricardo Lúcio de Andrade, Flávia Barbosa Guimarães, Mirian Apareci­da da Silva, Evelyn Caroline Costa, Marcelino Antunes da Silva, Juliano Vieira dos Santos e Nílsio Tavares. Marcone Silva Pereira (PSD) renunciou a sua candidatura.

PREFEITO

Conforme entrevista con­cedida ao Jornal Gazeta do Oeste e publicada na edição de ontem, o candidato a prefeito pelo PSOL, Jorge Torquato, disse que havia desistido de apresentar sua defesa ao pe­dido de impugnação de sua candidatura, formulado pelo Ministério Público. Ontem, a Justiça Eleitoral informou que Torquato não apresentou con­testação dentro do prazo e os autos já estão nas mãos do juiz José Antônio Maciel, que dará a sentença, provavelmente confirmando o indeferimento do registro, já que o candidato não apresentou nenhuma defesa.

O pedido de impugnação de Jorge Torquato foi formu­lado pelo Ministério Público Eleitoral, com base na Lei da Ficha Limpa. Em 2010, ele foi condenado a pagar multa de R$ 64 mil e também foi decre­tada sua inelegibilidade por oito anos. Em 2014, Torquato foi impedido de disputar a eleição para deputado federal, com base nessa condenação. A sentença já foi transitada em julgado em todas as instâncias. “Eu volto em 2018”, disse ele ao Jornal Gazeta do Oeste.

Já o candidato a vice na chapa de Jorge Torquato, Má­rio Pedreiro (PSOL), deverá ter o seu pedido de registro deferido pela Justiça Eleitoral. Ele ainda aguarda julgamen­to, porém, nessa semana, o Ministério Público, que havia pedido a impugnação de seu registro, manifestou-se de forma contrária e apresentou manifestação favorável ao deferimento. De acordo com uma fonte, Mário Pedreiro po­derá substituir Jorge Torquato como candidato a prefeito pelo PSOL.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.