segunda-feira, 3 de Outubro de 2016 12:58h Pollyanna Martins

Duas pessoas são presas por “boca de urna” durante as eleições em Divinópolis

Uma mulher, de 29 anos, foi presa na porta do Centro Social Urbano (CSU), no bairro Interlagos, e um homem, com crachá de Fiscal Eleitoral, foi preso na porta da Escola Estadual Dona Antônia Valadares, no Centro

Duas pessoas foram pre­sas ontem (2) por praticarem “boca de urna” durante as elei­ções municipais de Divinópo­lis. De acordo com a Polícia Militar (PM), por volta das 10h, policiais militares comparece­ram ao Centro Social Urbano (CSU), no bairro Interlagos, para atender o chamado do coordenador do local de vota­ção. Segundo a PM, ao chega­rem ao local, os policiais foram informados que uma mulher, de 29 anos, teria arremessado diversos panfletos eleitorais (santinhos) de dois candidatos a vereadores. Ainda conforme a PM, o fato foi presenciado por várias testemunhas e, no local, foram apreendidos 460 santinhos de um candidato e oito santinhos de um segun­do candidato a vereador. A mulher foi presa em flagrante, pelo crime de “Boca de Urna”, e encaminhada para a Polícia Federal, juntamente com o material apreendido.

CENTRO

Um homem foi preso no fi­nal da manhã de ontem (2), na Escola Estadual Dona Antônia Valadares, no Centro de Divi­nópolis, também pelo crime de “Boca de Urna”. Segundo a PM, por volta de 11:30h, um fiscal eleitoral compareceu a um posto de registro de ocorrências policiais e rela­tou que estava em serviço, quando flagrou um homem praticando o crime “Boca de Urna”. De acordo com a PM, o fiscal eleitoral informou que o homem estava com um crachá de fiscal eleitoral, em frente a um local de votação, e o mes­mo ouviu o suspeito falar mal de um candidato a prefeito, afirmando que o candidato es­tava impugnado para a eleição municipal. O fiscal eleitoral relatou ainda que o suspeito conversava com um moto­rista, que estava a serviço da Justiça Eleitoral, e o motorista também estava denegrindo a imagem do candidato.

Ainda segundo a PM, o suspeito saiu do local de vo­tação e retornou sem o crachá de identificação e continuou a denegrir a imagem do can­didato. Por volta das 12:20h, o homem foi flagrado mais uma vez cometendo o crime, e foi orientado pelo fiscal eleitoral e por outros colegas a parar com a prática, porém, mesmo orientado, o suspeito continuou a praticar a “Boca de Urna”. A Polícia Militar foi acionada e o suspeito ale­gou aos militares que estava apenas conversando com amigos no local, e que o as­sunto não tinha nada a ver com política. O homem foi preso e encaminhado para a

Polícia Federal.

MEDIDAS

De acordo com o promo­tor eleitoral, Calixto Oliveira Souza, o homem e a mulher presos durante as eleições mu­nicipais estão sujeitos à multa, pena criminal e também a perda do eventual mandato do candidato, caso seja eleito. “Eles podem ser processados por crime eleitoral e propa­ganda irregular”, informa.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.