sexta-feira, 30 de Setembro de 2016 17:18h Jotha Lee

Justiça eleitoral encerra preparativos para a eleição de domingo

Cartórios funcionam durante todo o final de semana
 

 

A Justiça Eleitoral de Divi­nópolis já concluiu todos os preparativos para a eleição do próximo domingo, quando 158.937 eleitores estarão aptos para votar nas 505 seções da ci­dade, divididas em 82 locais de votação. São 505 urnas e mais 39 que ficarão reservadas para o caso de necessidade de torça de algum equipamento que pode ser danificado durante a votação. De acordo com a chefe de cartório da 103ª Zona Eleitoral, Cinthia Greco, todas as urnas, que estão deposita­das na sede da Justiça Eleitoral na Rua Pernambuco, já foram programadas e agora só serão retiradas das caixas quando forem instaladas na seção de votação.

Ainda segundo Cinthia Greco, duas mil pessoas estão envolvidas no trabalho de domingo. “Os cartórios fun­cionam normalmente neste final de semana, no sábado, ficará aberto de 8h às 19h e, no domingo, até a conclusão da apuração”, explicou. “Nossa expectativa é que a contagem dos votos, que começa tão logo seja fechada a última seção, seja concluída em no máximo três horas. Acredito que até às 20h de domingo os eleitos já sejam conhecidos’”, acrescentou.

Cinco candidatos a pre­feito disputarão a eleição no domingo: Galileu Machado (PMDB), Iris Almeida (PT), Luis Militão (PSDB), Mário Oliveira (PSOL) e Marquinho Clementino (PROS). Galileu Machado já foi prefeito por dois mandatos completos, além de ter assumido o cargo por um ano em 1982, quando era vice-prefeito de Fábio No­tini. Com a doença do titular do cargo, que se afastou por motivo de saúde vindo a fale­cer durante o tratamento, Ga­lileu ficou no cargo de abril de 1982 a janeiro de 1983, quando entregou a administração a Aristides Salgado dos Santos. Os outros quatro candidatos disputam uma eleição majori­tária pela primeira vez, porém todos já têm experiência na vida pública e na militância política. Já para a Câmara Mu­nicipal, são 313 candidatos que disputarão as 17 vagas.

37° PREFEITO

O candidato eleito para o Executivo no próximo do­mingo será o 37° prefeito de Divinópolis. Antônio Gonçal­ves de Matos, que assumiu a prefeitura em fevereiro de 1936, foi o prefeito com o maior número de mandatos na história da cidade, ao ad­ministrar a cidade por quatro períodos. O primeiro prefeito foi Antônio Olímpio de Morais, que assumiu o cargo em 1ª de junho de 1912, data em que foi oficializada a emancipação político-administrativa de Divinópolis. De 1912 a 1947, os prefeitos eram nomeados pelo governador do Estado e, somente nesse ano, o chefe do Executivo passou a ser eleito pelo voto. O primeiro prefeito da cidade eleito pela vontade popular foi Jovelino Rabelo, que ficou no cargo de dezem­bro de 1947 a janeiro de 1951.

Em 104 anos de história, Divinópolis viveu momentos turbulentos na prefeitura, com renúncias e mortes de prefei­tos no exercício do mandato. A primeira renúncia aconteceu em setembro de 1918, quando faltavam somente três meses para terminar o mandato. An­tônio Olímpio de Morais, que cumpria seu segundo governo, renunciou ao mandato, que foi concluído pelo seu vice Francisco Coelho da Fonseca.

Dois prefeitos morreram no exercício do mandato. Isau­ro Ferreira da Silva, que havia assumido a prefeito em junho de 1919, faleceu no dia 7 de junho de 1922. No dia seguin­te, o então vice-prefeito, João Notini, assumiu o cargo. Por ironia da história, outro Notini estava na prefeitura, quando o segundo prefeito morreu no exercício do mandato. Em janeiro de 1977, assumiu a prefeitura Fábio Botelho No­tini, que faleceu no dia 13 de abril de 1982. Assumiu o cargo Galileu Teixeira Machado, en­tão vice de Fabio Notini. Nesse mandato tampão, Galileu ficou no cargo de abril de 1982 a janeiro de 1983.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.