terça-feira, 13 de Setembro de 2016 17:56h Pollyanna Martins

Número de casos de gestantes com Zika Vírus sobe assustadoramente na região

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde, de janeiro a julho, foram confirmados apenas quatro casos na região, em agosto, o número dobrou, e agora já são 18 casos

O número de casos de gestantes com Zika Vírus subiu assustadoramente na região Centro-Oeste. De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), na terça-feira (6), já foram confirmados 18 casos na região. O primeiro caso confirmado na região foi em Itaguara e divulgado no balanço epidemiológico do dia 24 de maio. Conforme a SES, de maio a julho, foram confirmados apenas quatro casos de gestantes com Zika Vírus. O número dobrou, de acordo com o balanço do dia 24 de agosto, passando para oito casos confirmados, e agora subiu 125%.

Segundo o balanço divulgado pela SES, os casos confirmados são em Araújos (1); Bom Despacho (2); Campo Belo (1); Divinópolis (1); Itaguara (1); Lagoa da Prata (1); Luz (3); Martinho Campos (2); Nova Serrana (3); Pará de Minas (1); Pitangui (2). De acordo com a SES, foram notificados 151 casos de recém-nascidos com microcefalias associadas à infecção congênita em Minas Gerais. Destes casos, foram confirmadas uma microcefalia associada à infecção pelo vírus Zika, na Superintendência Regional de Saúde de Uberaba, duas associadas a exames de imagem sugestivos de infecção congênita (SRS Montes Claros e SRS Sete Lagoas) e dois casos associados a infecções congênitas causadas por outros agentes (SRS Uberlândia e SRS Divinópolis).

Conforme os dados dos boletins epidemiológicos, a região Centro-Oeste segue no caminho contrário do Estado. De acordo com o balanço, o número de casos de gestantes com Zika Vírus caiu consideravelmente de abril a agosto. Em janeiro, foram registrados 1.222 casos em Minas Gerais; fevereiro foi o mês com maior número de casos, foram 5.311, e em março foram 5.070 casos. O número começou a cair em abril, quando foram registrados 2.304, em maio, foram 866, em junho, 156, em julho, 41, e em agosto, foram registrados apenas 22 casos em Minas Gerais. Segundo a SES, dos 14.992 casos prováveis de Zika Vírus, 1.301 eram de gestantes, sendo 744 confirmados.

De acordo com a Secretaria de Saúde, os principais sintomas do Zika Vírus são: dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são: inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. O vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

 

DENGUE

 

Segundo o boletim epidemiológico, o número de casos prováveis de dengue manteve-se estável nos últimos meses em Divinópolis. Após três semanas sem registrar nenhum caso, o primeiro caso provável foi notificado na segunda semana de agosto e, desde então, foram registrados apenas seis casos no município. O número de óbitos também ficou estável; foram registrados seis óbitos na cidade. Conforme a SES, em 2016, foram confirmados 227 óbitos por dengue, sendo a maioria dos pacientes (51,3%) com faixa etária a partir de 65 anos de idade, seguidos de adultos de 50 a 64 anos (46 óbitos). O número de casos prováveis de dengue caiu consideravelmente devido à falta de chuva nesta época do ano.

O supervisor geral de controle de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Juliano Cunha, alerta que, apesar de os números de casos terem abaixado radicalmente, é preciso que a população mantenha os cuidados, pois qualquer recipiente com água parada é suficiente para o mosquito Aedes aegypti se proliferar. “A pessoa precisa tirar apenas 10 minutos na semana para vistoriar o quintal, olhar o bebedouro do animal, as calhas e as caixas d’água. Manter as caixas d’água tampadas, e limpar também os reservatórios de água das geladeiras e qualquer outro recipiente que possa vir a acumular água”, orienta.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.