sexta-feira, 14 de Outubro de 2016 09:08h Pedro Gianelli

Pesquisa do Nupec revela quanto os divinopolitanos pagam em medicamentos

O Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec) da Faced realizou a pesquisa de preços dos medicamentos mais vendidos no Brasil segundo a Anvisa

A pesquisa foi realizada nas principais redes de farmácias de Divinópolis na primeira quinzena do mês de setembro.
Por meio da pesquisa, pode-se verificar que os medicamentos Neosoro (244%) e Sinvastatina 20mg (213%) apresentaram as maiores variações entre o maior valor encontrado e o valor mínimo. Já o Aradois 50mg (11,34%) e o rivotril 2mg (12,19%), foram os produtos com as menores variações entre os estabelecimentos pesquisados.

 

EM MINAS
Das despesas de consumo associadas à saúde, gastos dos brasileiros com medicamentos aumentam de 44,9% para 48,6% e, com convênio, de 25,9% para 29,8%, entre 2013 e 2015.
O peso da assistência à saúde cresceu no orçamento doméstico, indicando que, apesar de o país contar com sistema universal de atendimento, é cada vez maior a participação das famílias no financiamento do setor. Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF/IBGE) mostram que as famílias ampliaram seus gastos com medicamentos e também com planos e seguros de saúde. O impacto dos remédios nas despesas de consumo com assistência à saúde (alimentação, transporte, moradia) passou de 44,9% para 48,6% no período, enquanto os gastos com planos e seguros de saúde ampliaram sua participação, de 25,9% para 29,8%.
De modo geral, as despesas do mineiro com saúde são inferiores à média nacional, mas superam os gastos do brasileiro em itens importantes, como remédios, exames e consultas. Os planos e seguros de saúde representam 23,4% do orçamento mineiro, enquanto a média nacional é de 29,8%. Por outro lado, os mineiros comprometem 50,3% do orçamento com remédios, enquanto a média nacional é de 48,6%.
Em Minas, também foram turbinadas as despesas com exames, que consumiram 6,8% do orçamento para a saúde das famílias entre 2013 e 2015, quase o dobro da média nacional, de 3,9%. As consultas médicas no estado superam com folga a média do país, de 3,85% do orçamento. No estado, esses gastos chegam a 6,8%.

 

PROGRAMA SOCIAL
A lista de medicamentos gratuitos destinados à população passou de 145 para 340 em Minas Gerais, de acordo com o Governo do Estado. A aquisição e a distribuição são definidas pelo programa Regionalização da Assistência Farmacêutica em 261 cidades.
Neste modelo, lançado pela Secretaria Estadual de Saúde, a gestão da lista, em alguns casos, passou para o município. Assim, as secretarias municipais recebem o dinheiro e fazem a licitação dos remédios mais necessários pela população local.
A responsabilidade de aquisição dos medicamentos é dividida entre os três entes da Federação, podendo ser municipal, estadual ou federal.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.