sábado, 8 de Outubro de 2016 11:02h Carina Lelles

Servidor público é preso suspeito de fraudar ProUni

Outras pessoas estão sendo investigadas, incluindo estudantes de Divinópolis

CARINA LELLES
carina.lelles@gazetaoeste.com.br

 

Após seis meses de in­vestigação, a Polícia Civil de Itaúna prendeu, na manhã de ontem, um homem, de 39 anos, suspeito de fraudar o Programa Universidade Para Todos (ProUni). Ele é estu­dante de engenharia em uma faculdade da cidade e possui renda superior à máxima exi­gida pelo Programa.

Segundo o delegado Wesl­ley Amaral de Castro, após denúncia anônima, a Polícia Civil começou as investiga­ções. “Ele possui bolsa integral e possui salário bem acima do que é permitido pelo ProUni, que são três salários mínimos per capta. Iniciamos as in­vestigações e constatamos a veracidade dos fatos. Ele não tem renda compatível para o programa e está lesando os cofres públicos”, esclarece.

Ainda de acordo com o delegado, quando começou a cursar engenharia, o suspeito possuía renda dentro das normas do programa, mas, posteriormente, foi promovi­do a um cargo de confiança e chega a receber até R$8 mil mensais. O suspeito é funcionário concursado do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itaúna. “No decorrer das investigações, averiguou-se que o investiga­do residia sozinho e, inclusive, tinha adquirido um veículo o qual, para não ser descober­to, registrou-o no nome de sua genitora, sendo que este também foi apreendido com fins de possível ressarcimento aos cofres federais no futuro”, ressalta Weslley.

A estimativa é que a fraude seja superior a R$50 mil. O suspeito foi levado para a De­legacia da Polícia Federal em Divinópolis e, a partir de ago­ra, prossegue com o inquérito. O suspeito pode responder por estelionato e lavagem de capitais.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.