quarta-feira, 24 de Junho de 2020 20:30h Atualizado em 24 de Junho de 2020 às 20:30h. Portal G37

Lojistas pedem mudança no horário do comércio em Divinópolis.

Após 15 dias do fim da escala de funcionamento por segmento, Divinópolis apresenta cenário propício para avanço na retomada dos negócios.

A CDL e entidades membros do Grupo Gestor protocolaram na Prefeitura, nesta terça-feira, 23 de junho, pedido de revisão do horário de funcionamento do comércio.

Dados mostram que, o comércio varejista foi severamente atingido pelo fechamento total ordenado em razão da pandemia, sendo evidente que o funcionamento em horários reduzidos continua trazendo prejuízos às empresas.

As medidas de suspensão de contrato de trabalho e redução de jornada, anunciadas pela MP 936,  já foram, quase que na totalidade, esgotadas pelos lojistas.

Menos de 1% das empresas do país conseguiu dinheiro emprestado derivado de linhas especiais disponibilizadas pelo Governo Federal.

Ou seja, caso comércio não volte a funcionar regularmente, muitas empresas estarão fadadas a fechar as portas deixando de pagar fornecedores e empregados.

As entidades argumentam que, após os 15 dias do fim da escala de funcionamento, o Comitê de Enfrentamento da Covid, órgão da Prefeitura Municipal de Divinópolis, mostrou que os casos da doença na cidade permanecem controlados, tendo em vista que “a rede hospitalar e assistencial do Município de Divinópolis se encontra, devidamente estruturada” bem como “a ocupação de leitos de UTI encontra-se em patamar inferior a 50% da capacidade”, conforme considerações apresentadas nos decretos municipais, sendo cenário propício para avanço na retomada dos negócios.

Outro ponto importante a ser observado é que, o horário reduzido do comércio tem gerado a concentração de consumidores nas lojas no horário do almoço, favorecendo à aglomeração de pessoas, o que poderá ser facilmente evitada com a extensão no horário de funcionamento.

Nessa medida, as entidades do Grupo Gestor, pendem que seja avaliada a possibilidade de abertura das lojas de rua de segunda a sexta-feira, de 10h às 19h, e também com funcionamento no sábado de 08h30 às 14h.

Além de criar um ambiente propício para a saúde pública, ao diluir o fluxo de consumidores, possibilita a igualdade de funcionamento das lojas de rua e Shopping Center e oferece aos empresários um horário bom para as vendas, a fim de tentar gerar faturamento suficiente para pagar empregados, fornecedores e aluguéis.

A sugestão também considera o cenário do transporte público apresentado às entidades pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans), e tem a intenção de contribuir com a redução de fluxo de usuários nos horários de pico.

Oportuno observar que, após o dia 27 de abril, com a retomada do comércio, realizada de forma segura para consumidores, trabalhadores e empresários, o número de casos da COVID-19 se manteve dentro dos patamares desejáveis e que desde o início da pandemia, as entidades vem promovendo campanhas de conscientização sobre as medidas de contenção do novo coronavirus, com doação de máscaras, álcool em gel e outros equipamentos de proteção individual, em parcerias com empresas, o que contribuiu para a retomada segura dos negócios, sendo possível avançar ainda mais, sempre de forma consciente.