terça-feira, 13 de Agosto de 2019 12:01h Atualizado em 13 de Agosto de 2019 às 14:02h. Ilidio Luciano

Mudanças nas regras para obter CNH são explicadas pela Polícia Civil de Minas Gerais.

Candidatos não precisam esperar até setembro para iniciar aulas com as novas regras.

Ilídio Luciano

 

Novas regras para aquisição ou adição de categorias da Carteira Nacional de habilitação (CNH) foram apresentadas pelo Conselho Nacional de trânsito (Contran), e já podem ser aproveitadas pelos alunos nas auto-escolas.

 

As principais alterações são a diminuição da carga horária das aulas, além da suspensão por um ano das aulas teóricas e práticas, que eram exigidas para a obtenção da Autorização para Conduzir Ciclomotor (ACC) e o fim da obrigatoriedade do uso do simulador de direção, utilizado até agora para os candidatos da categoria B (carro).

 

Segundo a Polícia Civil, muitos candidatos a habilitação estão esperando pelo início da vigência das novas regras, que entram em vigor a partir do dia 16 de setembro, para iniciarem o processo de habilitação. O setor de CNH da Polícia Civil informa que, esses candidatos já podem se matricular nas auto-escolas e aproveitarem as novas regras que atenderão inclusive, os alunos que já iniciaram sua formação.

 

A delegada Flávia Portes, chefe da divisão de habilitação do departamento de trânsito de Minas Gerais explica outros detalhes que atenderão os candidatos a condutores.

 

“O sistema será adaptado para que a partir do dia 16 de setembro todas as mudanças sejam válidas mesmo para quem já iniciou o processo. Portanto, aqueles alunos que já tiverem cumprido a carga horária exigida pela Resolução 778 do Contran estarão aptos a realizar a prova de direção, e aqueles que estiverem fazendo as aulas práticas deverão apenas complementar as horas exigidas pela nova regra”

 

Obrigatório desde sua implantação em 2016, o simulador para candidatos a CNH “B”, para conduzir carro, passa a ser facultativo com as novas regras, com isso, o número de aulas práticas da categoria passa de 25 para 20, mesmo número exigido para exame da categoria “A” (moto).


A partir do início da vigência da Resolução, quem desejar obter a “ACC”, que permite conduzir as motos conhecidas como “cinquentinhas”, poderá, durante um ano, realizar apenas as provas teórica e prática, não sendo mais obrigatória a  freqüência nas aulas. Mas, se o candidato for reprovado, será necessário fazer as aulas práticas.  Após um ano, a carga horária para tirar a ACC passa de 20 horas para 5 horas e poderão ser feitas no ciclomotor do aluno.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.