quinta-feira, 12 de Março de 2015 09:46h

A dor de cabeça no universo feminino – como prevenir e cuidar

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, compreenda o motivo delas sofrerem mais desse problema do que os homens

As mulheres, muitas vezes, têm jornadas triplas durante um único dia. Cuidam dos filhos, trabalham e ainda precisam encontrar tempo para cuidarem de si, da casa ou da família. Muitas coisas acontecem na vida da mulher da hora que acorda até o tão sonhado descanso no final do expediente. Durante uma rotina dinâmica e cheia de compromissos na vida pessoal e profissional, uma simples dor de cabeça pode impactar todo um contexto.
Segundo estudos epidemiológicos realizados como parte da campanha global para aliviar a carga da cefaleia, 46% da população adulta apresenta cefaléia, 11% apresenta migrânea, 42% cefaléia do tipo tensional (CTT) e 3% cefaléia crônica diária (CCD). A cefaléia crônica diária acomete 2.4 mais vezes as mulheres do que os homens.
Para entender o porquê das mulheres sofrerem mais com as dores de cabeça, convidamos o Dr. Deusvenir de Souza Carvalho, neurologista e membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC). “A maior suscetibilidade das mulheres está ligada a dois tipos de cefaleia. Uma relacionada aos hormônios femininos e outra ao ciclo menstrual. A dor de cabeça durante o período da menstruação está atrelada ao hormônio estradiol que, quando liberado rapidamente, pode desencadear crises mais intensas”, explica o Dr. Deusvenir Carvalho.
Entre os tipos de dor de cabeça, está a tão temida enxaqueca. “É uma dor intensa que pode ter diversas consequências no dia-a-dia, pois piora com qualquer atividade física e está frequentemente associada à náusea, vômitos e desconforto com a exposição à luz e sons altos”, diz o neurologista.
As enxaquecas também podem desencadear vários problemas, entre eles desavenças com parceiros, pois fazem com que a pessoa não queria fazer nada. Em relação ao sexo, alguns estudos associam as enxaquecas à falta de apetite sexual e dores nas relações e outras pesquisas mostram uma relação entre orgasmo e alivio das dores de cabeça.
E como fazer para evitar diferentes tipos de dor de cabeça numa rotina atribulada? “Tenha sempre opções que amenizem o problema. Dentro de uma rotina agitada, procure manter um ritmo de horários para cada atividade, evitando forçar o organismo a se adaptar aos excessos. Alimente-se muito bem e tome bastante água. Outro ponto importante é tentar estar confortável no ambiente”, sugere o neurologista.
Mesmo assim, as dores de cabeça podem surgir. Nesses casos, primeiramente, é preciso prestar atenção na periodicidade da dor. Se for algo esporádico, considerando de uma a duas vezes durante o mês, é indicado o uso de analgésicos para amenizar o incômodo, que contribui no alívio da dor e do mal estar causado. “Caso seja algo recorrente e/ou constante, apenas o diagnóstico de um especialista apontará o melhor tratamento”, complementa o Dr. Deusvenir Carvalho.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.