quarta-feira, 11 de Maio de 2016 14:04h Agência Brasil

Banco Central regulamentará dados que constarão de auditorias em cooperativas

O Banco Central (BC) deve regulamentar, nas próximas semanas, quais informações devem fazer parte da auditoria que as cooperativas de crédito passarão a ser obrigadas a fazer

Da auditoria devem constar informações sobre a saúde financeira das cooperativas e sobre a gestão.

Em dezembro de 2015, o Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu que, até 2018, todas as cooperativas de crédito terão de passar por um novo tipo de auditoria. A auditoria cooperativa verificará se as entidades cumprem as normas do BC e vai ajudar o fundo garantidor das cooperativas de crédito a acompanhar a situação das instituições. O fundo tem o objetivo de dar segurança a associados depositantes e investidores das cooperativas.

 

 

 

Unificação de informações

Hoje (11), na abertura da Reunião Plenária do Conselho Consultivo de Crédito da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), em Brasília, o diretor de Regulação do BC, Otavio Ribeiro Damaso, destacou que a auditoria vai unificar as informações sobre os procedimentos de todas as cooperativas.

“Gostaria de destacar a grande expectativa do Banco Central em relação à auditoria cooperativa. Primeiro, em relação a uma maior transparência das informações, a tempestividade dos trabalhados e incremento na qualidade das informações a respeito da solidez, da governança, do desempenho operacional e da situação econômica e financeira das instituições do segmento”, disse.

 

 

 

A auditoria poderá ser feita por empresas independentes ou por confederações (formadas por cooperativas centrais). Na semana passada, foi publicada uma circular para definir o credenciamento no BC das empresas e das confederações que farão as auditorias.

De acordo com o BC, a nova exigência será adotada em etapas. Até 31 de dezembro de 2016, as confederações e as cooperativas de crédito plenas que operam nos três níveis – singulares (formadas por associados), centrais ( cooperativas singulares) e confederações ( cooperativas centrais) – terão de implementar a auditoria cooperativa. A obrigação será gradualmente estendida a todas as cooperativas de crédito até 31 de dezembro de 2018.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.