quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2015 13:40h Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

Banda Alegria sem Ressaca adere à campanha "Craque que é craque não usa crack"

A Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas (Abrad) promove, no próximo dia 8, uma semana antes da abertura oficial do carnaval, novo desfile da Banda Alegria sem Ressaca pela orla de Copacabana

A Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas (Abrad) promove, no próximo dia 8, uma semana antes da abertura oficial do carnaval, novo desfile da Banda Alegria sem Ressaca pela orla de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro. Integrada por dependentes químicos em tratamento, ex-dependentes, parentes, especialistas e amigos, a banda faz prevenção à dependência química e ressalta que ninguém precisa usar drogas ou abusar de bebida alcoólica para se divertir.

O presidente da Abrad, psiquiatra Jorge Jaber, disse hoje (5) à Agência Brasil que este ano a banda está adicionando ao movimento a campanha “Craque que é craque não usa crack”, da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). A Abrad se uniu à ABP, e vamos fortalecer o movimento contra o crack. Estaremos divulgando esse tema, com participação de grandes ídolos do  Clube do Flamengo, informou Jaber.

O desfile da banda contará com alguns ex-jogadores que fizeram história no Flamengo. Entre eles, Arthur Antunes Coimbra (Zico), Adílio e Nunes, que trouxeram para o país os títulos de campeão mundial interclubes e da Copa Libertadores da América, em 1981, entre outros certames. Os atletas vão segurar uma faixa com a frase-tema da campanha.

Adílio, que é presidente da Associação de Ex-Atletas do Flamengo e do Estado do Rio de Janeiro, disse que a luta contra as drogas é uma causa de todo mundo, “porque a gente sabe que isso aí é contra o esporte, a humanidade, contra tudo”. Para o veterano jogador, droga não combina com o ser humano, “porque ele se transforma. Quando está envolvido com bebida, com tóxico, ele se torna outro tipo de pessoa. Isso não é bom para ninguém. A gente apoia essa causa, porque entendemos que temos que estar junto das pessoas que combatem as drogas e o álcool”.

Este ano, a madrinha e rainha da Banda Alegria sem Ressaca é a cantora e sambista Teresa Cristina, conhecida como Flor da Lapa. Ela substitui a atriz Luiza Tomé, que reinou no cargo quatro anos. Teresa Cristina cantará durante o desfile com a banda oficial do Cordão da Bola Preta, parceiro da Abrad.

O presidente do bloco Cordão da Bola Preta, Pedro Ernesto Marinho, disse à Agência Brasil que a ideia é manter a agremiação abraçada às causas sociais. Uma oportunidade para isso é a Banda Alegria sem Ressaca, cuja característica é o combate ao uso de drogas. “É mais um avanço para o Bola Preta, na direção da responsabilidade social”, destacou.

O desfile do Bola Preta, no sábado (14) de carnaval, homenageia os 450 anos de fundação da Cidade Maravilhosa, e durante a festa será reafirmado o apoio do bloco à luta da Abrad e da ABP contra as drogas. “A gente acha que tudo é permitido, é possível. Só que a pessoa tem que estar consciente dos seus atos, porque ela decide tomar um porre, por exemplo, e depois vai dirigir. Ela tem que lembrar que, muitas vezes, pega o volante depois que usou álcool e acaba desgraçando a vida de quem não tem nada a ver com isso. Acho que é importante o Bola Preta estar irmanado nessa conscientização de evitar o uso de drogas”, externou Marinho.

Jorge Jaber disse que o objetivo é criar na sede do Cordão da Bola Preta, na Lapa, um serviço de tratamento gratuito para usuários de crack e outras drogas. Salientou, entretanto, que o serviço estará disponível apenas para pessoas carentes. Jaber acrescentou que a ideia é também aproveitar a sede campestre do bloco, em Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, para expandir o tratamento de dependentes químicos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.