sexta-feira, 2 de Setembro de 2016 12:59h Cemig

Cemig firma convênio de R$ 4,2 milhões com agência do governo dos EUA

Recursos serão investidos, a fundo perdido, em projetos de geração, transmissão e distribuição

Cemig e United States Trade and Development Agency (USTDA) formalizaram cooperação em dois projetos nesta quinta-feira (1º/9). Um deles envolve estudos que auxiliarão no fluxo de energia renovável e de outros recursos de geração distribuída na rede da concessionária. O outro prevê a elaboração de um plano para expansão dos sistemas de telecomunicações operativas que atendem Cemig Distribuição e Cemig Geração e Transmissão, subsidiárias integrais da Cemig.

 

A agência governamental norte-americana fará aporte de 1,3 milhão de dólares ou, aproximadamente, R$ 4,2 milhões nos dois projetos. O presidente da Cemig, Mauro Borges Lemos, enalteceu o desenvolvimento de estudos e pesquisas com o suporte da USTDA.

 

“A realização de projetos em parceria com a agência trouxe resultados expressivos para a Cemig anos atrás, que contribuíram para tornar mais eficientes diversos processos. Sem dúvida, a Cemig é a empresa certa para colocar em prática novas ideias e experimentar novas tecnologias por meio desses convênios. Fica claro que o compartilhamento de conhecimento entre a USTDA e a Cemig vai auxiliar no crescimento da empresa e trazer mais qualidade aos serviços prestados”, destacou Mauro Borges.

 

A gerente para o Brasil da USTDA, Isabel M. Sepulveda, lembrou que é longa a parceria com a empresa mineira. “Nós tivemos interesse em trabalhar com a Cemig pela boa reputação profissional e técnica da empresa. A Cemig é uma referência dentro do setor energético brasileiro. Já desenvolvemos um projeto com a companhia faz alguns anos, que foi muito bem sucedido, e temos a intenção de dar continuidade à cooperação em novos projetos futuros”, afirmou Sepulveda.­

 

As pesquisas sobre geração distribuída serão conduzidas pela empresa nova-iorquina Vrinda Inc. Já a empresa responsável pelo plano de telecomunicações será definida por meio de processo licitatório realizado nos Estados Unidos. A Cemig será beneficiada com os produtos dos projetos e fará a análise e aprovação dos resultados apresentados pelas empresas.

 

Projetos anteriores

Em 2011, a Cemig e Light firmaram um primeiro convênio com a USTDA, no valor de US$ 710 mil, dentro do Projeto Cidades do Futuro, para implantação de um projeto piloto de redes inteligentes de energia ou, do inglês, smart grid em Sete Lagoas (MG).

 

Esse acordo auxiliou, ainda, no processo técnico de aquisição de quase um milhão de medidores inteligentes pela Light para combate ao furto de energia e de outros 3.800 pontos de automação da rede de distribuição. O projeto Cidades do Futuro foi encerrado em 2013, após a instalação e teste de diversas tecnologias para automação e também 5.000 medidores inteligentes em unidades consumidoras que permitiam, à época do teste, o monitoramento diário pela concessionária e pelo próprio cliente do consumo na unidade.

 

Plano Diretor de Telecomunicações Operativas para a Cemig D e Cemig GT

Um dos acordos que estão sendo assinados com a USTDA, no valor de US$ 828 mil, visa o desenvolvimento de um Plano Diretor de Telecomunicações Operativas com abrangência da área de concessão da Cemig D e nas instalações da Cemig GT. Atualmente, por exemplo, a Cemig D e GT possui instalações e equipamentos automatizados em várias regiões do Estado, muitos nas áreas rurais, que permitem o restabelecimento mais rápido de energia sem a necessidade de envio de equipes até o local.

 

O novo estudo, que será realizado por uma empresa norte-americana, vai avaliar as tecnologias disponíveis no mercado e sua adequação ao modelo regulatório do sistema elétrico, além de possibilitar um estudo de expansão dos sistemas de telecomunicações para a área de concessão da Cemig D e para as instalações da Cemig GT.

 

Geração distribuída

O outro acordo assinado nesta quinta-feira com a USTDA tem o objetivo de compreender os desafios atuais e futuros enfrentados pela Cemig, relativos à integração da geração distribuída em larga escala no sistema de distribuição. Além disso, faz parte do escopo o desenvolvimento de projetos e especificações técnicas de infraestruturas tecnológicas, processos e preparo organizacional para atendimento ao cenário de grande demanda de acessos ao sistema de distribuição, por parte dos clientes de geração distribuída.

 

A Aneel permite, desde 2012,  que os consumidores possuam sistemas para produzir qualquer tipo de energia renovável em suas residências e obtenham descontos na conta de energia.  Principal meio para esse tipo de geração, os módulos fotovoltaicos devem ser adquiridos pelos clientes e o projeto deve ser assinado por um engenheiro responsável, que deve enviar a documentação para as concessionárias. De acordo com especialistas, o prazo de garantia de um sistema fotovoltaico é da ordem de 25 anos, mas para alguns equipamentos pode chegar a 30 anos.  Para efetivar a ligação, é necessário que o consumidor solicite à Cemig conexão com a rede de distribuição.

 

A Cemig é a distribuidora com maior número de micro e minigeradores de energia elétrica conectados à sua rede e  será beneficiada com os produtos do projeto, tais como estudos e especificações técnicas e fará a análise e aprovação dos resultados apresentados pela Vrinda Inc. O projeto foi orçado em US$ 465.761 e será totalmente custeado pela referida agência americana.

 

Sobre a USTDA

United States Trade and Development Agency foi fundada em 1981 e é financiada pelo Congresso dos Estados Unidos da América. A agência atua em diversas regiões do mundo e tem como objetivo auxiliar na construção de infraestrutura para o comércio, aproximar a especialização tecnológica dos EUA com as necessidades de desenvolvimento no exterior e criar duradouras parcerias de negócios entre o país e as economias emergentes.

 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.