quinta-feira, 21 de Maio de 2015 09:59h

Codevasf apresenta a consórcio projetos de remediação de lixões de três municípios mineiros

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) entregou ao Consórcio Público Intermunicipal de Tratamento de Resíduos Sólidos (Ecotres)

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) entregou ao Consórcio Público Intermunicipal de Tratamento de Resíduos Sólidos (Ecotres), nesta semana, projetos voltados ao encerramento de três lixões nos municípios de Congonhas, Conselheiro Lafaiete e Ouro Branco, no estado de Minas Gerais.

Os lixões deixaram de receber resíduos em agosto de 2014, quando entrou em operação o aterro sanitário que atualmente atende a Conselheiro Lafaiete e Ouro Branco e em breve atenderá a Congonhas. A construção do aterro foi uma ação empreendida pela Codevasf com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC); as obras somaram investimentos de aproximadamente R$ 4,2 milhões.

Com os projetos recebidos nesta semana, o Consórcio poderá planejar a execução de intervenções dedicadas ao manejo do passivo ambiental gerado pelos lixões. Os documentos foram entregues ao secretário-executivo do Ecotres, Celso Reis de Paula, pelo diretor da Área de Revitalização da Codevasf, Eduardo Motta, em Brasília.

“Resíduos sólidos são um problema que aflige a todos. Dentro das bacias dos rios São Francisco, Parnaíba, Itapecuru e Mearim a Codevasf tem como desafio lidar com essa questão. No âmbito do programa de revitalização coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, há ações dessa natureza que cabem à Codevasf”, explica Eduardo Motta. “O Consórcio de Conselheiro Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco é um caso de sucesso e está servindo de exemplo de boa gestão de resíduos”, acrescenta o diretor da Codevasf.

De acordo com o secretário-executivo do Ecotres, o Consórcio tem o compromisso público de remediar os lixões utilizados antes da implantação do aterro. “Com os projetos em mãos, trabalharemos para realizar as intervenções necessárias e assim resguardar o meio ambiente nos três municípios, que agora contam com um aterro compartilhado”, diz Celso Reis de Paula.

O aterro administrado pelo Ecotres beneficia cerca de 200 mil habitantes das áreas urbanas de Conselheiro Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco, e tem capacidade para receber 150 toneladas diárias de resíduos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.