quarta-feira, 10 de Junho de 2015 12:52h

Consumidor terá acesso a informações sobre a origem da madeira de concessões florestais

O novo sistema de rastreamento do Serviço Florestal Brasileiro permitirá acompanhar o caminho percorrido pela madeira da floresta até o mercado consumidor

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) inaugurou nesta semana uma ferramenta que permitirá o controle ainda mais preciso da produção de madeira nas áreas sob concessão florestal federal. A novidade é um aprimoramento do Sistema de Cadeia de Custódia (SCC), em funcionamento desde 2010, e entrou em operação no dia 15/05, data em que terminou oficialmente o período de embargo, quando, devido ao período chuvoso na região Amazônica, a atividade de extração de madeira é proibida.

O novo sistema irá fazer o rastreamento completo da madeira produzida nas áreas de concessão e permitirá a qualquer interessado localizar em um mapa de onde a madeira saiu e por onde ela passou até chegar ao local de consumo. A consulta poderá ser feita através de um código identificador, no formato QR Code, que vinculará cada fardo de madeira com a “árvore mãe” da qual foi extraído.

De acordo com o Gerente de Monitoramento e Auditoria Florestal do SFB, José Humberto Chaves, o novo sistema permitirá ao órgão monitorar a produção florestal com maior transparência e segurança e, ao certificar a origem da produção, facilitará o acesso dos concessionários aos mercados internacionais mais exigentes.

“O concessionário florestal poderá demonstrar a legalidade da origem do seu produto para o mercado consumidor, inclusive com atendimento das exigências das principais normativas internacionais, como as da Europa e dos Estados Unidos, que buscam cada vez mais garantir a origem legal e sustentável da madeira que consomem”, explicou Chaves.

Já o diretor de Concessão Florestal e Monitoramento do SFB, Marcus Vinicius da Silva Alves, enfatizou que a política de concessões florestais incentiva a produção legal e sustável de madeira. “Ao adquirir madeira de concessão, o consumidor tem a certeza de que os produtos foram obtidos em conformidade com a legislação e de forma sustentável”, afirmou. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.