quinta-feira, 3 de Setembro de 2015 12:33h

Dias defende meta conjunta do G20 para qualificação e inserção de jovens no mercado de trabalho

Em intervenção durante Reunião de Ministros do Trabalho e Emprego do Grupo, em Ancara, ministro apresentou ações do Brasil para mercado de trabalho inclusivo

“A preferência do Brasil, em relação ao emprego juvenil, seria por uma meta coletiva no âmbito do G20”, defendeu nesta manhã (3) o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, durante intervenção do Brasil na Reunião dos Ministros do Trabalho e Emprego do G20, em Ancara, na Turquia. A intervenção do ministro ocorreu durante a Sessão 1, sobre Mercados de Trabalho Mais Inclusivos, logo após a abertura da reunião de ministros.

Dias empenhou o compromisso do país em contribuir para que, a exemplo do Brasil, os países do G20 possam “fortalecer as ações destinadas a intensificar a qualificação profissional, com vistas ao acesso dos jovens ao mercado de trabalho, a empregos de qualidade e ao trabalho decente”, observando que a maioria dos países do G20, apresenta percentuais maiores de desemprego entre os jovens.

O ministro ressaltou que mais cedo, na Sessão Especial sobre Diálogo Social, os parceiros sociais do G20 manifestaram preocupação com a conjuntura mundial, constatando o crescimento da taxa de desemprego, desafio comum entre os países do G20. “Nos últimos anos, houve um acréscimo de mais de 60 milhões de trabalhadores desempregados e as políticas econômicas do G20 não tiveram os resultados esperados. Por isso, o Grupo está propondo ações para priorizar o trabalho juvenil”, declarou Dias. Como contribuição do Brasil, o ministro apresentou na reunião os resultados alcançados pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), com um milhão de matrículas ao ano nos cursos de qualificação profissional, realizados em mais de três mil municípios e em todas as regiões e estados brasileiros.

Em seu pronunciamento, o ministro evidenciou que mercados de trabalho inclusivos têm sido uma das prioridades do Brasil, como estratégia para promoção do crescimento econômico, com emprego e trabalho decente, associada à redução das desigualdades. “No Brasil, as oportunidades de ascensão social alcançam todos os brasileiros. Isso reflete as políticas públicas de trabalho, emprego e renda, na perspectiva da inclusão social e produtiva da população, especialmente das famílias de baixa renda em situação de risco e vulnerabilidade social”, enfatizou.

Programas como redução da informalidade, valorização do Salário Mínimo e de transferência de renda, também foram evidenciados por Dias. “A experiência brasileira mostrou-se fundamental para que, mesmo em um contexto de crise internacional, o Brasil pudesse proteger empregos e garantir trabalho decente”, ressaltou o ministro.

PPE - A implantação pelo governo brasileiro do Programa de Proteção ao Emprego (PPE) motivou líderes asiáticos a buscarem mais informações sobre a experiência, que é coordenada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Segundo o ministro Manoel Dias, durante a troca de informações em Ancara, o PPE foi destaque. “Lideranças da Ásia nos procuraram e querem saber mais sobre esta ação de preservação de empregos que cria condições para que as empresas possam se recuperar, preservando investimentos e mantendo a arrecadação”, informou.

A Reunião de Ministros do Trabalho e Emprego do G20, aberta nesta quinta-feira (2), prossegue até sexta (4), quando ocorrerá a Adoção da Declaração de Ancara.  Na sexta, o ministro do Trabalho e Emprego participa também na Turquia, da Reunião Conjunta com Ministros de Finanças do Grupo.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.