sábado, 5 de Março de 2016 10:00h Atualizado em 5 de Março de 2016 às 10:00h. Agência Brasil

EBC lança sinal digital da TV Brasil e de três canais do Poder Executivo

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) lançou hoje (4) a transmissão da TV Brasil e de três canais do Poder Executivo em sinal digital. No canal 3.1, estará a TV Brasil, no 3.2 a TV NBR, no 3.3 a TV Escola e no 3.4 o Canal Saúde

Nesse formato de multiprogramação, os canais, antes disponíveis apenas na TV paga, passam agora a ser transmitidos em sinal digital gratuito, ou seja, com melhor qualidade de som e imagem. Em Brasília e no Rio de Janeiro, as transmissões dos canais da EBC já são digitais, também no formato de multiprogramação.

A mudança do sinal analógico para o digital atende à disposição do governo federal de desligar a transmissão analógica em todo o país até 2018. A primeira cidade onde a mudança foi feita é Rio Verde, em Goiás, onde, desde a última terça-feira, o sinal já é totalmente digital. Brasília e outras cidades do Distrito Federal serão as próximas a passar pela transição.

 

 

Enquanto a TV analógica transmite áudio e vídeo, a TV digital transmite também informações de dados. Digitalizada, a televisão passa a fazer parte do ambiente de convergência, podendo se conectar a qualquer outra plataforma digital, como computadores ou celulares, podendo ser assistida a qualquer tempo, de qualquer lugar.

A TV digital oferece também a possibilidade da interatividade. Por permitir todos esses recursos, o padrão japonês foi o escolhido para servir de base à implementação da televisão digital no Brasil, que sofreu ajustes e modificações. O sistema utilizado no Brasil, fruto de parceria com o governo japonês, atualmente é adotado por 15 países da América Latina, Central e da África.

 

 

O sistema brasileiro de TV digital, o Isdb-Tb, é gratuito. Mas é preciso ter os equipamentos adequados para a recepção do sinal. É necessário ter uma antena digital e um conversor digital (necessários para quem tem televisores fabricados no Brasil antes de 2010), que podem ser acoplados à TV, ou uma TV com conversor integrado.

O secretário-executivo da Secretaria de Comunicação, Olavo Noleto - que representou o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva - disse que a TV pública quer levar o melhor para a população e deseja construir as várias formas de expressão e o direito que a população tem à informação e à comunicação pública.

 

 

“A TV pública é a representação do povo brasileiro e a cada dia ela dá um passo novo para fortalecer esse papel. Temos a certeza de que os próximos passos serão mais fortalecedores para o nosso povo que terá mais direito à comunicação pública de verdade”, afirmou.

Para o diretor vice-presidente da EBC, Mário Maurici, a mudança garante que a programação da TV pública chegue a muito mais cidades do país com padrão de qualidade muito superior.  “Isso permite um outro olhar para a televisão, que é uma aproximação do Estado e do governo com a sociedade. A população passa a ter acesso a serviços públicos e à informação mais rápida do governo e à possibilidade de interagir”.

 

 

O superintendente da Regional Sudeste II/Sul da EBC, Manoel de Araújo Sobrinho, destacou a importância da TV pública no sentido de poder prover a população com o conteúdo que o sinal digital permite e poder carregar em um mesmo canal vários outros. “Estamos inaugurando a transmissão de duas outras tevês que já são produzidas há mais de dez anos, mas que estavam restritas só a um público específico da área. Agora, vamos poder utilizar esse conteúdo de forma mais democrática em todos os cantos do país”.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.