quinta-feira, 21 de Janeiro de 2016 11:42h Agência Brasil

Em luta contra tráfico, Macri autoriza abate de aviões não identificados

Como prometeu em sua campanha eleitoral, o presidente argentino, Mauricio Macri, anunciou a adoção de novas medidas para combater o narcotráfico, que teve um aumento preocupante no país nos últimos anos

Macri declarou "emergência sobre a segurança pública por um ano em todo o território nacional", autorizando o abate de aviões não identificados.

Os narcotraficantes costumam usar pequenas aeronaves para transportar grandes quantidades de drogas, especialmente entre as fronteiras com os países vizinhos. Segundo dados do governo, cerca de 400 voos do tipo são registrados por ano no país. Como "aeronaves hostis" foram definidas aquelas que "por suas características, no âmbito da situação e exigências da operação, implicam uma chance de dano ou perigo aos interesses vitais da nação".

 

 

Diante de críticas da oposição, representantes do governo anunciaram que será enviado um projeto de lei ao Congresso para debater a norma. A ação não afeta o decreto presidencial, que entra em vigência na próxima segunda-feira (25).

Citado pelo jornal local La Nación, o ex-ministro de Defesa no governo de Cristina Kirchner, Agustín Rossi, disse que o decreto "é uma pena de morte sem julgamento prévio". Rossi considerou "uma barbaridade" Macri ter decretado a medida sem um processo de debate e sem a aprovação do Congresso.

 

Macri, que assumiu o governo em 10 de janeiro, afirma que 12 anos de kirchnerismo causaram graves danos ao país, especialmente no que diz respeito ao aumento da violência e dos índices de narcotráfico.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.