terça-feira, 26 de Julho de 2016 15:50h Agência Brasil

Estados iniciam hoje campanhas de combate ao tráfico de pessoas

Diversos estados realizam, ao longo desta semana, ações de conscientização e prevenção como parte da Semana de Mobilização do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

A intenção é evitar que, com a promessa de trabalho lucrativo, brasileiros sejam atraídos pelo tráfico de pessoas que costuma resultar em situações de trabalho escravo e exploração sexual.

Amazonas, Bahia, Amapá, Ceará, Rio de Janeiro e São Paulo iniciaram ações de conscientização sobre o tema com palestras e distribuição de panfletos em rodoviárias e aeroportos. Hoje (26), no Distrito Federal, ocorre o 1º Simpósio Distrital da Rede de Atenção ao Migrante, Refugiado e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

A diretora substituta do Departamento de Justiça, do Ministério da Justiça, Alessandra Macedo, alertou que traficar pessoas é uma das maiores violações aos direitos humanos. Ela informou que, apesar da dificuldade em obter dados precisos sobre esse crime, houve um crescimento significativo no número de denúncias.

 

 

Dados

De acordo com Alessandra Macedo, esse crescimento pode ser consequência das campanhas de prevenção realizadas no país. Ela citou como contribuição as ações do 2° Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, iniciativa do governo brasileiro.

“Os dados que temos são de 2013, mas conseguimos perceber que, de 2011 para 2013, há um salto mais que significativo de 30 para 300 denúncias no Disque 100, por exemplo. Ai perguntamos, mas teve tanto aumento assim no número de vítimas? Talvez sim, ou talvez tenha sido que estamos realmente conseguindo colocar a política para andar e divulgar os canais de denúncia”, acrescentou.

O último relatório sobre tráfico de pessoas lançado pelo Ministério da Justiça e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc) indica que, no Brasil, de 2005 a 2011, foram investigadas 514 denúncias desse crime.

 

 

 

Conscientização

Desse total, 344 inquéritos são relacionados ao trabalho escravo. Outros 157 são de tráfico internacional e 13 investigaram tráfico interno de pessoas, casos em que o índice de denúncia é muito baixo.

A conscientização sobre o que é tráfico de pessoas e o alerta para os diferentes tipos de situação que levam a esse crime são formas importantes para o enfrentamento do problema, segundo a diretora do Instituto de Migrações e Direitos Humanos, irmã Rosite Milesi.

“É uma situação ainda invisível, pouco percebida na sociedade. É preciso trabalhar na prevenção e construir na sociedade a consciência sobre a importância de denunciar”, afirmou.

 

 

 

ONU

As ações da Semana de Mobilização do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas serão encerradas no sábado (30), Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Desde 2013, o Brasil aderiu à Campanha Coração Azul, uma inciativa de conscientização para lutar contra o crime e seu impacto na sociedade.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.