quinta-feira, 26 de Novembro de 2015 11:35h Atualizado em 26 de Novembro de 2015 às 11:38h.

Estruturas antiterror estarão presentes em toda a área de atividade olímpica

O comandante do Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo (CCPCT) do Ministério da Defesa, general Mauro Sinott, apresentou, nesta quinta-feira (26)

O comandante do Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo (CCPCT) do Ministério da Defesa, general Mauro Sinott, apresentou, nesta quinta-feira (26), o planejamento de ações antiterror que será executado durante a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016.

De acordo com o general, que é chefe do Comando de Operações Especiais do Exército, toda a área onde serão realizadas atividades olímpicas contará com uma estrutura especifica anti-terror.

Segundo Sinott, a distribuição de centros de enfrentamento ao terrorismo se dará a partir de uma estrutura maior que é o Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo, e que ficará ligado ao Comando Militar do Leste.

Os chamados Centros de Controle Tático Integrado (CCTI) estarão junto de cada núcleo de segurança nas cidades-sede dos jogos de futebol e também em todas as áreas de competição do Rio de Janeiro. "Toda a arquitetura de força do Ministério da Defesa estará fracionada em cada área de jogos, com condições para agir junto das forças de segurança pública em caráter de pronta-resposta, o que é fundamental", disse.

O general destacou também que é partir desse formato que toda a expertise das Forças Armadas, especialmente no setor de Defesa Química, Bacteriológica, Radiológica e Núclear (DQBRN), poderá ser aliada ao trabalho da segurança pública.

Para tanto, Sinott ressaltou a importância do trabalho integrado que vem sendo desenvolvido pelos mais diversos órgãos de segurança, como os ministérios da Defesa e da Justiça, além da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e da Polícia Federal, entre outros. "Conseguimos construir um ambiente de interação com todas as forças de segurança pública, num formato de integração total para podermos ter agilidade, não só nas ações de inteligência, como também para o emprego da Força, caso seja preciso", explicou.

As ações de enfrentamento ao terrorismo do Ministério da Defesa para as Olimpíadas Rio 2016 foram apresentadas durante o Briefing Internacional promovido pela Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (SESGE) do Ministério da Justiça, que reuniu representantes de mais 70 países que participarão das competições no ano que vem.

Na ocasião, autoridades de orgãos como Polícia Federal e Abin também apresentaram suas estruturas de enfrentamento ao terror, dando destaque ao trabalho integrado que vem sendo priorizado pelo governo brasileiro, sempre com base no Plano Estratégico de Segurança Integrada (Pesi) e no Plano Tático Integrado (PTI) para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos.

Estágio de Percepção de Ameaça Terrorista (EPAT)

Ao finalizar sua apresentação, o general Sinott falou ainda sobre o plano de sensibilização e dissuasão que será executado pelo Ministerio da Defesa, em parceria com Abin e Ministério da Justiça, com o objetivo de capacitar as pessoas que estarão na linha de frente desse grande evento a perceber e denunciar situações suspeitas.

"Nosso objetivo é atingir o máximo de pessoas para que elas estejam atentas ao papel preventivo de suma importância que elas também terão nesse processo", afirmou. Segundo o general, nos próximos meses será iniciado o processo de sensibilização, que terá como foco as pessoas que trabalharão nas Olimpíadas e que estarão em espaços com grande presença de público, como hotéis, bares, além dos que cuidam da parte de serviço, como taxistas e motoristas de ônibus.

 

Fotos: Felipe Barra / MD

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.