quarta-feira, 18 de Março de 2015 13:19h

Futebol olímpico atrai turistas para seis capitais do País

Estádios de Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro foram escolhidos para sediar as partidas de futebol durante os jogos olímpicos Rio-2016

Centros de treinamento localizados nas próprias capitais e atrativos turísticos dos arredores podem estender ainda mais a estadia do viajante. Seis capitais brasileiras estão em contagem regressiva para sediar as partidas olímpicas de futebol durante os jogos Rio-2016:  Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Salvador, São Paulo e o Rio de Janeiro estão confirmadas pelo Comitê Olímpico da Federação Internacional de Futebol (Fifa). A exemplo da Copa do Mundo, os destinos de futebol devem receber um grande número de visitantes – e oferecer extras além dos estádios: um grande número de atrativos turísticos e os centros de treinamento que concentram os atletas, muitos deles nos arredores das arenas. Os jogos olímpicos devem atrair entre 350 mil e 500 mil estrangeiros, de acordo com estimativas do Ministério do Turismo.

Os números da Copa mostram que o país está preparado para receber bem os visitantes. Mais de 3,7 milhões de turistas circularam pelo país e visitaram 491 municípios brasileiros. A hospitalidade e a gastronomia foram os serviços de melhor qualidade para os estrangeiros, de acordo com estudo feito pelo Ministério do Turismo. Os estádios da Copa também se destacaram em conforto, atendimento e sinalização, revelou a pesquisa. O impacto econômico do evento foi de R$ 6,7 bilhões na economia e se distribuiu por cidades de todo o país.

As 16 seleções que participam das competições - apenas Brasil e Argentina estão confirmadas - devem entrar em campo nas  arenas do Mineirão (MG), no Estádio Nacional (DF), na Arena Amazônia (AM), na Arena Fonte Nova (BA), na Arena Corinthians (SP), no Maracanã ou no Engenhão (RJ). Craques como o brasileiro Neymar e o argentino Lionel Messi devem fazer parte da disputa, o que dá pistas de que os centros de treinamento, local onde os atletas se hospedam e treinam, devem estar movimentados.  

A boa notícia é que parte destes centros se localizam nos arredores das arenas, de modo que o turista pode aproveitar a estadia para acompanhar um treino e, se tiver sorte, esbarrar com alguns dos 10 mil atletas representados por 205 países. Afinal, são mais de 100 centros espalhados apenas pelos cinco estados, com exceção da Bahia. A cidade de Brasília, por exemplo, oferece estrutura para a prática de esportes como golfe, natação, saltos ornamentais, atletismo, canoagem e handebol. Já Belo Horizonte e Juiz de Fora, em Minas Gerais, que receberão as delegações da Grã-Bretanha e do Canadá, contam com centros de atletismo e natação. Manaus terá infraestrutura para receber equipes de futebol e tênis de mesa. Rio de Janeiro e São Paulo se destacam na vela, no hipismo, no judô, na luta olímpica, e esportes coletivos como vôlei e basquete.

O visitante ainda poderá aproveitar a estadia na cidade para conhecer os principais pontos turísticos de cada destino. Em Manaus, por exemplo, é possível fazer um passeio de barco para contemplar o encontro das águas dos rios Negro e Solimões e apreciar os peixes da culinária amazônica. Em Brasília, capital federal, as atividades esportivas no Lago Paranoá tem sido uma das diversões para os turistas. Salvador, um dos cartões-postais da primeira capital do país, é o Pelourinho. O local tem como atrativo a arquitetura e o tradicional ensaio do Olodum.  Em São Paulo, a cultura e os mais de 15 mil restaurantes são os principais atrativos de brasileiros e estrangeiros.  Já o Rio de Janeiro, sede dos jogos olímpicos, oferece atrativos como o Pão de Açúcar, o Corcovado, a Lagoa da Conceição e o Jardim Botânico, além das praias.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.