sexta-feira, 8 de Abril de 2016 10:46h Ministério da Saúde

Ministério da Saúde cede 146 ambulâncias para reforçar atendimento nos Jogos Rio 2016

A medida deve reforçar a assistência à saúde prestada aos torcedores durante o mundial esportivo. A operação dos veículos será feita pelo governo do estado do Rio de Janeiro

O Ministério da Saúde disponibilizará 146 ambulâncias ao estado do Rio de Janeiro para reforçar a assistência prestada aos torcedores durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Nesta sexta-feira (8/4), o ministro da Saúde, Marcelo Castro, e o secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Luiz Antônio de Souza, assinaram o Termo de Cessão dos veículos durante a cerimônia de inauguração do Estádio Aquático Olímpico, no Rio de Janeiro (RJ).


“As Unidades Móveis de Suporte Avançado serão utilizadas para socorrer os casos mais graves. Estamos trabalhando, em parceria com estados e demais municípios onde haverá competições para aprimorar a infraestrutura e a organização dos serviços públicos do setor, para garantir toda assistência aos brasileiros e turistas que vêm ao nosso país acompanhar o mundial”, ressaltou Marcelo Castro.

 

 

 

Do total de ambulâncias que serão cedidas, dez unidades foram entregues em 2015 ao governo do estado. O evento desta sexta-feira marcou a entrega simbólica pela presidenta Dilma Rousseff das 136 ambulâncias restantes que serão utilizadas nos Jogos do Rio 2016 e apoiar a realização dos eventos-testes da competição. As ambulâncias estão disponíveis para que o governo estadual do Rio de Janeiro possa buscá-las em Tatuí (SP), onde são fabricados os veículos.

O Ministério da Saúde investiu R$ 72 milhões na compra e aparelhamento das ambulâncias, incluindo R$ 30 milhões que irão custear a operação e já começaram a ser liberados. Após as Olimpíadas e Paralimpíadas, as unidades serão distribuídas a outras cidades para renovação da frota nacional do SAMU 192.

 

 

 

 

Também serão disponibilizados 130 leitos de retaguarda nos hospitais federais e institutos do Rio de Janeiro, sendo 62 clínicos, 58 cirúrgicos, quatro coronarianas e seis pediátricos. Além disso, estão sendo contratados 2.493 profissionais de saúde temporários, entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e outras áreas para a rede federal de saúde no estado. Esses profissionais apoiarão o atendimento prestado à população durante os Jogos.

 

 

 

APLICATIVO – O Ministério da Saúde também disponibilizou para a população o aplicativo Guardiões da Saúde. Na ferramenta, o usuário pode indicar diariamente qual é a sua condição de saúde e, assim, ajudar no monitoramento da saúde pública. Isso permite ao Poder Público a adoção de providências e ações de proteção de forma ágil, uma vez que será possível mapear a ocorrência de sintomas similares relatados em determinadas localidades. O aplicativo vai permitir a detecção mais rápida da proliferação de doenças e a adoção das providências necessárias para informar e proteger a população.

Ao informar sua condição de saúde, o cidadão é orientado a procurar um serviço de saúde caso marque estar com algum sintoma de doença, e pode verificar a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) mais próxima por meio do mecanismo de geolocalização, além de identificar farmácias próximas. Os usuários também podem acompanhar orientações sobre os cuidados com as doenças mais comuns no Brasil, como as transmitidas pelo Aedes aegypti.

 

 

 

 

Na versão Olimpíadas, que será lançada em maio e terá um visual novo, também terá um Quiz com curiosidades sobre diversos temas da área da saúde. A cada resposta correta, o cidadão avança na corrida e pode conhecer mais sobre modalidades esportivas.

O aplicativo está disponível para download, gratuitamente, nas lojas virtuais Play Store e Apple Store e também pode ser acessada pela web. A iniciativa é fruto de uma parceria com a ONG norte-americana Skoll Global Threats Fund (SGTF).

 

 

 

OUTRAS AÇÕES – As iniciativas desenvolvidas no âmbito da saúde incluem ainda a montagem de um centro de operações para atuar em ocasiões de emergência e auxiliar na organização da rede de assistência. O CIOCS (Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde) será ativado a partir do dia 5 de julho – um mês antes do início dos Jogos – e segue até 5 de outubro. O Centro irá monitorar as situações de risco, a demanda por atendimento, a vigilância epidemiológica e sanitária, além de coordenar respostas diante de emergências em saúde pública.

O CIOCS foi criado em 2011 pelo Ministério da Saúde e já foi ativado em eventos como Copa das Confederações, Jornada Mundial da Juventude e Copa do Mundo de 2014. Com esse monitoramento, foi possível verificar que durante a Copa, apenas 0,2% dos participantes necessitaram de algum tipo de atendimento de saúde fora das arenas, como demonstra a experiência internacional, que prevê que, nos locais dos jogos, a necessidade de deslocamento a unidade de saúde de maior complexidade fica entre 0,2% e 0,5%.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.