sexta-feira, 26 de Agosto de 2016 09:15h Imprensa Agricultura

Ministro incentiva superintendentes federais de Agricultura a tomarem decisões de gestão

Blairo Maggi se reuniu com os servidores nesta quinta-feira (25) para falar sobre modernização da pasta e diretrizes para 2017

O ministro Blairo Maggi participou, nesta quinta-feira (25), em Brasília, de reunião com os 27 superintendentes federais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para discutir o planejamento de ações de modernização e diretrizes para 2017 e o alinhamento com a gestão atual.

Durante o encontro, Maggi incentivou os superintendentes a não terem medo de tomar decisões. “Quando a gente toma as decisões dentro da normalidade das regras e com bom senso é muito difícil que você seja atropelado.”
 
O ministro se referia ao fato de muitas superintendências esperarem por determinações de Brasília para adotar medidas que poderiam solucionar problemas locais. Blairo Maggi lembrou ainda que o papel do Mapa é equilibrar e regular o sistema e precisa ser ágil nessa atribuição. 

A fala do ministro está em sintonia com o espirito do Plano Agro +, lançado nessa quarta-feira (24) durante solenidade com o presidente Michel Temer, no Palácio Piratini. O plano é voltado à desburocratização, à modernização e a maior eficiência do Mapa, a fim de que possa contribuir com o aumento da competitividade do setor produtivo agropecuário, o que deve ter resultado nas exportações do país. 

“O bom de trabalhar é ver as coisas funcionarem. Ver as coisas andarem. Vocês não são importantes porque dizem não, mas sim porque dizem sim, porque buscam soluções, buscam alternativas”, reforçou Blairo Maggi.

Pontos em comum das regiões

Na reunião, foram analisados pontos em comum de cada região com o objetivo de alinhar ações que permitam a modernização e autonomia das superintendências, a desburocratização de processos e aproximação entre esses órgãos.

A coordenadora-geral de Apoio às Superintendências, Lizane Soares Ferreira, disse que a postura favorável do Mapa em relação à autonomia possibilita agilidade e redução de custo. “Assuntos e ações que, eventualmente, estão centralizados no Mapa podem ser decididos por meio dos superintendentes e suas equipes. Desburocratizar esses processos permite melhorias na gestão em cada estado”, acrescentou.

No planejamento de diretrizes para 2017, estiveram na pauta a redução de custos por meio da terceirização de frotas de veículos que vão a campo e também a simplificação de procedimentos realizados entre as superintendências e o Mapa.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.