quinta-feira, 15 de Janeiro de 2015 10:52h

MTur divulga destaques sobre a intenção de viagem do brasileiro

Brasilienses têm a maior propensão de arrumar as malas; turistas de Salvador são os primeiros em destinos domésticos; Recife lidera em viagens de avião e Sudeste cresce na preferência dos viajantes

Pesquisa realizada em dezembro pelo Ministério do Turismo com duas mil pessoas de sete capitais brasileiras revela as tendências e as principais características do viajante brasileiro. A Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem é um estudo mensal feito em parceria com a Fundação Getúlio Vargas que mede a intenção do brasileiro de viajar pelos próximos seis meses. As sete cidades monitoradas representam 70% do fluxo turístico do país. Abaixo, os principais resultados:

Brasília registrou maior intenção de viagem do país. Quase metade dos moradores da capital federal deseja viajar, seja para o Brasil ou exterior. O percentual está mais de dez pontos acima da média nacional. O percentual de brasilienses que pretende viajar cresce mês a mês, desde março de 2014, chegando a mais de 45% do público em dezembro de 2014. A intenção de viagem do brasiliense (45,8%) é maior do que a média do país (34,9%) e das outras seis cidades monitoradas pelo estudo do Ministério do Turismo: Porto Alegre (45,1%), Belo Horizonte (42,8%), São Paulo (33,4%), Salvador (33,1%), Rio de Janeiro (30,3%) e Recife (22,5%).

"O turismo interno é o principal motor da economia turística do país. Estimular o brasileiro a conhecer o próprio país é um de nossos objetivos. É uma forma de valorizar a cultura local, gerar renda e movimentar a economia", diz o ministro do Turismo, Vinicius Lages.

Já a capital baiana ocupa a primeira posição quando o assunto são as viagens domésticas (93,7%) de seus moradores. O percentual está 13 pontos acima da média nacional (80,2%). Salvador também alcançou o índice mais alto entre as sete capitais pesquisadas em intenção de viagens de ônibus (24,2%), embora o percentual de viajantes de carro (36,3%) e de avião (35,8%) ainda seja maior. A capital baiana registrou também o maior percentual de intenção de viagem dentro do próprio estado: 57,5%, à frente de Porto Alegre (48,2%), São Paulo (42%), Rio de Janeiro (30,7%), Belo Horizonte (15,2%), Recife (8,6%) e Brasília (5%).

Recife, por sua vez, é a capital com maior índice de intenção de viagem de avião do país. A capital pernambucana alcançou, em dezembro, o percentual de 89,9%, mais de 30 pontos percentuais acima da capital que ficou em segundo lugar: Brasília (58,8%) e quarenta e um pontos acima da média das sete capitais monitoradas pelo estudo (48,7%). Recife também ocupa a terceira posição entre as capitais com maior desejo de viajar pelo país, atrás apenas de Salvador (93,7%) e Brasília (88,9%).  De acordo com o estudo, Recife é também a capital brasileira com a segunda maior intenção de viagem para outro estado do país (91,4%), atrás apenas de Brasília com 95%.

O Sudeste foi a região do país que mais cresceu na intenção de viagem do brasileiro. Hoje ela atrai 30,7% do público, atraindo parte daqueles que antes preferiam o Nordeste. Já a Região Nordeste, que ainda lidera na preferência do brasileiro, registrou 36% no mesmo período. Para se ter uma ideia de como o percentual aumentou, em dezembro de 2013 o Sudeste respondia por apenas 21,7% dos turistas e, o Nordeste, quase o dobro: 40,1%.

Três das quatro faixas etárias monitoradas pelo Ministério do Turismo estão mais propensas a viajar acompanhadas. Entre os viajantes com idade entre 35 a 44, o percentual, que já era alto, ficou ainda maior: passou de 91,1%, em dezembro de 2013, para 92,7%, em dezembro de 2014. Entre aqueles com idade entre 45 e 60 anos, o aumento foi mais expressivo: de 90,9% para 93,1% no mesmo período. Foi na terceira idade, no entanto, que a alta superou todas as outras: de 88,3% para 92,2%. A única faixa etária que não registrou aumento foi a de brasileiros com menos de 35 anos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.