terça-feira, 20 de Setembro de 2016 17:45h MAPA

Novacki: “Produzam mais porque vamos abrir mercados”

Ao participar de evento de pecuaristas, em Goiânia, ministro interino destaca importância do Plano Agro+ para aumentar comércio agrícola do país

O ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, afirmou, durante a abertura oficial da Conferência Internacional de Pecuaristas (Interconf) 2016, em Goiânia, nesta terça-feira (20), que o Agro+ é a estratégia do governo para conseguir aumentar de 7% para 10% a participação do Brasil no mercado externo nos próximos cinco anos. “Produzam mais porque vamos buscar mercados para vender os seus produtos”, avisou.
 
Além de medidas como o Agro+, Novacki lembrou que o ministro Blairo Maggi tem trabalhado fortemente para abrir novos mercados. “O ministro está viajando desde o dia 30 de agosto, junto com cerca de 40 empresas e associações do agronegócio brasileiro, por sete países asiáticos: China, Coreia do Sul, Tailândia, Mianmar, Vietnã, Malásia e Índia.” Acrescentou que, a partir do 1º de outubro, ele viajará ao exterior para reforçar a estratégia de ampliação das exportações agropecuárias do Brasil.

Para Novacki, o grande desafio do agronegócio brasileiro será transformar a pujança do setor em emprego e renda para a população. “A crise já foi, agora é a vez de trabalharmos para gerar novas oportunidades.” O ministro interino afirmou que o agronegócio tem que ter foco e saber para onde quer ir.

O presidente da Assocon (Associação dos Confinadores), Alberto Pessina, destacou a importância do Agro+ para o setor agrário e comemorou a declaração do ministro interino de abertura de mercado externo.

O secretário de Agricultura do Estado de Goiás, Antônio Flávio Camilo de Lima, anunciou que uma das suas metas será implementar o Agro+ goiano nos próximos meses. “Iremos a Brasília dentro de alguns dias para conseguirmos mais informações sobre o Plano”, adiantou.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.