segunda-feira, 8 de Agosto de 2016 12:31h Itaipu

Para Ban Ki-moon, Itaipu está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Afirmação foi feita durante visita à Itaipu nesse domingo (7). Roteiro incluiu, pela manhã, as Cataratas do Iguaçu.Afirmação foi feita durante visita à Itaipu nesse domingo (7). Roteiro incluiu, pela manhã, as Cataratas do Iguaçu.

Durante a visita do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, neste domingo (7), a Foz do Iguaçu, a Itaipu firmou um acordo de cooperação técnica com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), para a aplicação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) nas 54 cidades que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop). Ban Ki-moon, que participou da abertura da Olimpíada, incluiu as Cataratas do Iguaçu e a usina binacional em seu roteiro no País.

O acordo foi assinado pelos diretores-gerais da Itaipu, Jorge Samek (Brasil) e James Spalding (Paraguai), e pelo representante do PNUD no Brasil, Niky Fabiancic.

Essa foi a segunda vez que Ban Ki-Moon visitou a hidrelétrica. A primeira foi em fevereiro de 2015, como parte de uma visita oficial ao governo do Paraguai. Para Samek, o retorno do secretário à usina é um reconhecimento aos compromissos assumidos pela binacional na promoção do desenvolvimento sustentável no entorno da usina, no Brasil e no Paraguai.

O secretário afirmou que foi um “dia inspirador”, de “tirar o fôlego” e que lhe trouxe várias lições. Ban Ki-moon elogiou os esforços da Itaipu Binacional na pesquisa de novas tecnologias em fontes alternativas de energia e no combate às mudanças climáticas, além da busca pelo cumprimento dos ODS, que abrangem diversos temas da sustentabilidade que os países-membros da ONU precisam cumprir até 2030.

Na Itaipu, o secretário foi recepcionado pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, que está cumprindo agenda no Paraná; a vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti; os diretores-gerais da Itaipu, Jorge Samek (Brasil) e James Spalding (Paraguai); os diretores de Coordenação da usina, Pedro Domaniczky (executivo) e Nelton Friedrich, e a diretora financeira executiva, Margaret Groff. Na visita ao PTI, Ban Ki-moon foi acompanhado por Juan Sotuyo, diretor superintendente da Fundação PTI, e pelo reitor da Unila, Josué Modesto dos Passos Subrinho.

“Senti-me muito inspirado ao visitar a Itaipu Binacional. Este é um local em que usamos a força da água pela humanidade, pelo desenvolvimento, paz e harmonia”, afirmou o secretário-geral, que fez uma visita panorâmica à usina. Depois, ele se dirigiu ao Parque Tecnológico Itaipu, onde plantou uma árvore e conheceu alguns dos projetos da binacional, como a geração de energia a partir do biogás, pesquisas sobre segurança de barragens, desenvolvimento de baterias, promoção da equidade de gênero e o Cultivando Água Boa, premiado pela ONU-Água como melhor prática de gestão da Água.

“A Itaipu vem trabalhando alinhada com os ideais da ONU e com documentos planetários que vêm sendo discutidos desde a Rio 92, culminando nos ODS e nas metas de redução dos gases de efeito estufa, acordadas na COP21, em Paris. São diversas as ações que estão sendo postas em prática na margem brasileira e paraguaia da usina e que demonstram que a construção de um mundo melhor é possível”, afirmou Samek.

Durante a visita do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, neste domingo (7), a Foz do Iguaçu, a Itaipu firmou um acordo de cooperação técnica com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), para a aplicação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) nas 54 cidades que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop). Ban Ki-moon, que participou da abertura da Olimpíada, incluiu as Cataratas do Iguaçu e a usina binacional em seu roteiro no País.

O acordo foi assinado pelos diretores-gerais da Itaipu, Jorge Samek (Brasil) e James Spalding (Paraguai), e pelo representante do PNUD no Brasil, Niky Fabiancic.

Essa foi a segunda vez que Ban Ki-Moon visitou a hidrelétrica. A primeira foi em fevereiro de 2015, como parte de uma visita oficial ao governo do Paraguai. Para Samek, o retorno do secretário à usina é um reconhecimento aos compromissos assumidos pela binacional na promoção do desenvolvimento sustentável no entorno da usina, no Brasil e no Paraguai.

O secretário afirmou que foi um “dia inspirador”, de “tirar o fôlego” e que lhe trouxe várias lições. Ban Ki-moon elogiou os esforços da Itaipu Binacional na pesquisa de novas tecnologias em fontes alternativas de energia e no combate às mudanças climáticas, além da busca pelo cumprimento dos ODS, que abrangem diversos temas da sustentabilidade que os países-membros da ONU precisam cumprir até 2030.

Na Itaipu, o secretário foi recepcionado pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, que está cumprindo agenda no Paraná; a vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti; os diretores-gerais da Itaipu, Jorge Samek (Brasil) e James Spalding (Paraguai); os diretores de Coordenação da usina, Pedro Domaniczky (executivo) e Nelton Friedrich, e a diretora financeira executiva, Margaret Groff. Na visita ao PTI, Ban Ki-moon foi acompanhado por Juan Sotuyo, diretor superintendente da Fundação PTI, e pelo reitor da Unila, Josué Modesto dos Passos Subrinho.

“Senti-me muito inspirado ao visitar a Itaipu Binacional. Este é um local em que usamos a força da água pela humanidade, pelo desenvolvimento, paz e harmonia”, afirmou o secretário-geral, que fez uma visita panorâmica à usina. Depois, ele se dirigiu ao Parque Tecnológico Itaipu, onde plantou uma árvore e conheceu alguns dos projetos da binacional, como a geração de energia a partir do biogás, pesquisas sobre segurança de barragens, desenvolvimento de baterias, promoção da equidade de gênero e o Cultivando Água Boa, premiado pela ONU-Água como melhor prática de gestão da Água.

“A Itaipu vem trabalhando alinhada com os ideais da ONU e com documentos planetários que vêm sendo discutidos desde a Rio 92, culminando nos ODS e nas metas de redução dos gases de efeito estufa, acordadas na COP21, em Paris. São diversas as ações que estão sendo postas em prática na margem brasileira e paraguaia da usina e que demonstram que a construção de um mundo melhor é possível”, afirmou Samek.

Cataratas do Iguaçu
Ele também falou sobre a visita ao Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as Cataratas. “As Cataratas são tão poderosas e magníficas. Eu me senti muito humilde diante da força grandiosa da natureza. Expresso minha esperança sincera de que esses países vizinhos tenham a responsabilidade de administrar bem esse patrimônio da humanidade de forma sustentável".

 
E assim resumiu a experiência nos dois locais: “Aprendi muito sobre o que e como podemos fazer com a natureza. Se nossa sociedade vai contra a sabedoria da natureza, então não teremos esperança. Mas na medida em que usamos a natureza (e a água) com sabedoria, podemos fazer o melhor para as pessoas e para o planeta”, concluiu.


Ele também falou sobre a visita ao Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as Cataratas. “As Cataratas são tão poderosas e magníficas. Eu me senti muito humilde diante da força grandiosa da natureza. Expresso minha esperança sincera de que esses países vizinhos tenham a responsabilidade de administrar bem esse patrimônio da humanidade de forma sustentável.” 

E assim resumiu a experiência nos dois locais: “Aprendi muito sobre o que e como podemos fazer com a natureza. Se nossa sociedade vai contra a sabedoria da natureza, então não teremos esperança. Mas na medida em que usamos a natureza (e a água) com sabedoria, podemos fazer o melhor para as pessoas e para o planeta”, concluiu.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.