segunda-feira, 27 de Abril de 2015 10:19h Atualizado em 27 de Abril de 2015 às 10:29h. Pollyanna Martins

Pesquisa revela que 52,5% dos brasileiros estão acima do peso

Entre eles, 17,9% são obesos. Nutricionista inclui até o uso de controles-remotos entre fatores de risco para o aumento de peso

Uma pesquisada realizada pelo Ministério da Saúde revelou que 52,5% dos brasileiros estão acima do peso. Entre eles, 17,9% são obesos. O estudo, que foi divulgado no dia 15, mostrou um aumento no número desses casos ao longo dos anos. Em 2006, o total de pessoas acima do peso era de 42,6%, enquanto o de obesos era 11,8%. Número que subiu para 50,8% de pessoas acima do peso, e se manteve estável em 17,5% de obesos em 2013.
A pesquisa foi realizada pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), em 2014, e faz um diagnóstico da saúde do brasileiro a partir de questionamentos sobre os hábitos da população, como tabagismo, consumo abusivo de bebidas alcoólicas, alimentação e atividade física. As informações foram coletadas nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal. Ao todo, 41 mil entrevistas foram feitas para o levantamento dos dados, que mostrou que o excesso de peso é maior entre os homens – 56,5%, contra 49,1% das mulheres.
A pesquisa mostrou também que os maiores índices de excesso de peso foram encontrados em pessoas entre 45 e 64 anos. Um dado preocupante do estudo é a proporção de maiores de 18 anos com obesidade, que chega a 17,9%.
De acordo com o ministério, o excesso de peso é fator de risco para doenças crônicas do coração, hipertensão, diabetes, responsáveis por 78% dos óbitos no Brasil. As informações mostraram também que 20% dos entrevistados afirmaram ter diagnóstico médico de colesterol alto – entre as mulheres, o índice é de 22%, contra 17,6% dos homens.

 

NUTRIÇÃO
A nutricionista Kelli Nascimento explica que entre os fatores que contribuem para a obesidade estão o acesso fácil a produtos industrializados, a tecnologia, televisão com controle remoto, ausência de gasto de energia e horários irregulares de refeições. “Filhos ‘socados’ em apartamentos sem ter como gastar energia acumulada, a necessidade do pai e a mãe trabalhar, comer fora, horários irregulares de refeições, o organismo acumula gordura com isso. Devemos ter muito cuidado com as crianças de hoje, que caminham para a obesidade e os pais não percebem ou não aceitam a situação”, alerta.
Segundo Kelli, os alimentos com excesso de gordura, açúcar ou sódio, os alimentos industrializados e as guloseimas devem ser evitados. Já os alimentos com grande quantidade de fibras, como os grãos, a soja e a linhaça são os indicados para quem quer queimar gordura. “Esses alimentos fazem uma varredura no nosso organismo, com isso eliminamos toda a gordura acumulada. Não podemos nos esquecer de sempre tomar água para ajudar neste processo. As frutas e verduras ajudam muito neste processo também por conterem grande quantidade de fibras”, orienta.

 

OBESIDADE INFANTIL
A nutricionista alerta aos pais sobre a obesidade infantil, que atinge cerca de 15% das crianças brasileiras. Para que os pais consigam abaixar o peso dos filhos, a nutricionista orienta uma dieta em família. “A obesidade infantil deve ser evitada primeiramente com a mudança da alimentação dos pais, pois muitas vezes o pai reclama da má alimentação do filho quando que na verdade a sua alimentação também não é nem um pouco equilibrada”, aponta.
De acordo com Kelli, recompensas através de guloseimas não devem ser feitas. “As recompensas com comida devem ser eliminadas ou diminuídas. Geralmente, a culpa dos pais por ficarem fora o dia inteiro faz com que essa falta seja substituída por guloseimas”, explica.

 

ALMOÇO
Para ter uma dieta equilibrada, a nutricionista ensina como fazer um prato ideal na hora do almoço. “O prato ideal a ser elaborado na hora do almoço é aquele em que se tem um pouco de cada nutriente necessário ao nosso corpo, como o carboidrato, proteína, lipídio – que é a gordura – e os sais minerais e vitaminas das verduras. O excesso de alguns desses pode acarretar problemas relacionados à obesidade”. Outra orientação de Kelli é quanto ao jantar, que apesar de não engordar deve ser realizado até as 19h.

 

DIETA
A empresária Thaisa Salomé iniciou uma dieta após passar a vestir 40. Segundo Thaisa, ela vestia 34 e procurou uma dieta, pois sentia um incômodo quando se via no espelho. “Eu passei a ver que precisava de dieta quando as roupas não me serviam mais. Eu me sentia incomodada quando me via no espelho. Já cheguei a comprar roupa 42. Achei uma dieta que cortei os carboidratos e [fiquei] só com proteínas”, conta.
Conforme Thaisa, em uma semana de dieta quatro quilos já foram eliminados. A empresária conta que com a nova alimentação ela incluiu outros alimentos no cardápio. “Agora eu estou seguindo direitinho a dieta e vou continuar. O meu objetivo é vestir 36 de novo e algumas roupas já começaram a servir de novo. Além da estética, a minha saúde melhorou. Tinha verdura que eu não comia e agora eu como. A dieta te força a comer legumes, verduras e frutas”, conclui.

Foto: Dieta
Credito: Reprodução
Legenda: Inclusão de legumes e verduras na alimentação auxilia a queima de gordura

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.