quarta-feira, 28 de Janeiro de 2015 11:08h

Programa Cama e Café chega a Corumbá (MS)

Programa de hospedagem alternativa atrai visitantes interessados em se aproximar da cultura local, trocar experiências com moradores e economizar na estadia. Em Corumbá, os preços variam entre R$ 60 e R$ 120

A partir desta terça-feira (27), quem estiver em Corumbá (MS) terá a oportunidade de se hospedar na casa dos próprios moradores. A iniciativa faz parte do programa Cama e Café, que estimula a oferta “natural” de leitos a turistas, mobilizando a comunidade e aproximando os visitantes da cultura da região. São casarões históricos e residências simples, de rico valor cultural, localizados em meio aos biomas naturais do Pantanal e patrimônios históricos tombados, a preços que variam entre R$ 60 a R$ 120.

O morador Athayde Junior, proprietário de uma casa corumbaense da década de 40, abriu as portas de sua casa para dar início a um projeto piloto na cidade. “Queremos apresentar as festas tradicionais, a cultura da região e os pratos típicos. Não apenas a variedade de peixes e o Rio Paraguai”, afirma. Até meados de fevereiro, mais quatro empreendimentos serão ofertados aos visitantes de Corumbá.

O Ministério do Turismo estimula as hospedagens alternativas pelo país, pois acredita que elas diversificam a oferta de leitos a um preço acessível e promovem a interação cultural. As diárias são econômicas e incluem café da manhã. Comum em países europeus, o programa cama e café atrai pessoas que buscam experiências marcantes no local. “A boa hospitalidade do anfitrião e a troca de informações torna  a estadia ainda melhor”, diz o ministro do Turismo Vinicius Lages. “A experiência do bom acolhimento, inclusive, tem motivado os estrangeiros da Copa a voltarem ao país após a Copa do Mundo”, diz.   

Corumbá é um dos 65 destinos indutores do turismo brasileiro, e recebe cerca de 214 mil turistas ao ano. “Com a nova oferta de leitos vamos estimular o intercâmbio de culturas e proporcionar a convivência sustentável em meio aos biomas da natureza, agregando mais uma alternativa de renda à população”, afirma a diretora da Fundação de Turismo do Pantanal, Hélènemarie Fernandes.

A partir de março, os interessados que moram na região e tem interesse em participar do programa poderão se inscrever. É necessário se tornar um micro empreendedor individual, formalizar o cadastrado no Cadastur, do Ministério do Turismo, e passar por um processo de capacitação, pelo Sebrae.

O Cama e Café também está presente em destinos como Brasília, Rio de Janeiro e Mato Grosso.

HOSPEDAGEM ALTERNATIVA

As hospedagens alternativas agradam os turistas estrangeiros que visitam o Brasil. Do total de visitantes internacionais (5,8 milhões) que estiveram no país em 2013, boa parte escolheu meios alternativos para se hospedar, como casas de amigos e parentes (26,4%), albergues e camping (5%) e casas alugadas (11,2%).

Além disso, o Cama e Café é uma das opções apoiadas pelo MTur que atendem a grande demanda dos turistas que circulam pelo País, principalmente em grandes eventos como a Jornada Mundial da Juventude, a Rio+20, as Olimpíadas e a Copa. Albergues, aluguéis de temporadas e campings também foram alternativas mapeadas pelo Turismo.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.