quarta-feira, 4 de Maio de 2016 11:52h Ministério da Defesa

Rio 2016: Chama Olímpica inicia operação integrada de segurança

Ao cruzar o espaço aéreo brasileiro, a Chama Olímpica, deu início, nesta terça-feira (3), em Brasília (DF), a operação de segurança integrada dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016

Dois caças F-5M da Força Aérea Brasileira (FAB) escoltaram a aeronave que trouxe para o Brasil o maior símbolo esportivo do planeta. A Esquadrilha da Fumaça, com suas acrobacias, presenteou a população, rasgando o céu do Planalto Central com figuras e a frase “Rio 2016”.

O Ministério da Defesa, por meio da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, irá atuar na segurança dos Jogos Rio 2016 em um esquema de trabalho integrado com o Ministério da Justiça, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e órgãos de segurança ligados aos governos estaduais e municipais.

 

 

 

“Asseguro que o Brasil está plenamente preparado para proporcionar a proteção aos atletas, às comissões técnicas, aos chefes de Estado, aos turistas, aos jornalistas e a todos os nossos visitantes que vão ter a oportunidade de assistir os Jogos no Rio de Janeiro”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff, durante a cerimônia de acendimento da tocha no Palácio do Planalto. Dilma lembrou o investimento feito em inteligência e acordos firmados com agências internacionais com larga experiência no enfrentamento ao terrorismo.

O Ministério da Defesa, por meio da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, irá atuar na segurança dos Jogos Rio 2016 em um esquema de trabalho integrado com o Ministério da Justiça, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e órgãos de segurança ligados aos governos estaduais e municipais.

 

 

 

“Asseguro que o Brasil está plenamente preparado para proporcionar a proteção aos atletas, às comissões técnicas, aos chefes de Estado, aos turistas, aos jornalistas e a todos os nossos visitantes que vão ter a oportunidade de assistir os Jogos no Rio de Janeiro”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff, durante a cerimônia de acendimento da tocha no Palácio do Planalto. Dilma lembrou o investimento feito em inteligência e acordos firmados com agências internacionais com larga experiência no enfrentamento ao terrorismo.

Dilma exaltou ainda o planejamento e o trabalho dos órgãos de segurança nacional durante os Jogos Olímpicos e na jornada épica da tocha que irá percorrer 327 municípios brasileiros, ao longo de 94 dias, quando a Pira Olímpica for acessa no Maracanã, no Rio de Janeiro, no dia 05 de agosto.

 

 

 

A segurança do revezamento da Tocha Olímpica é de responsabilidade da Segurança Pública e conta com o trabalho integrado dos órgãos de segurança pública federais, estaduais e municipais. No entanto, as Forças Armadas estarão preparadas e em plenas condições de atuar como força de contingência, ou seja, poderão ser acionadas para agir em caso de necessidade.

Na área de segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, cerca de 38 mil militares das Forças Armadas estão preparados para atuar durante as competições no Rio de Janeiro e nas cidades que receberão as partidas de futebol: Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador e Manaus. Cerca de 20 mil desses militares ficarão no Rio de Janeiro, divididos entre as quatro regiões olímpicas: Copacabana, Maracanã, Barra da Tijuca e Deodoro.

 

 

 

Escolta

Antes de pousar em solo brasileiro às 7h25, o jato comercial também foi monitorado pelo sistema de controle de tráfego aéreo da FAB, desde às 3h da manhã, quando o avião ingressou em área sob responsabilidade do Brasil, no meio do Oceano Atlântico.

“A aeronave foi interceptada pela Força Aérea Brasileira com a missão de conduzir em segurança a Chama Olímpica até o seu pouso na capital federal. De agora em diante, estaremos juntos protegendo a chama em sua jornada até os Jogos Olímpicos Rio 2016”, anunciou a controladora de voo da FAB. O piloto da aeronave que conduziu a tocha agradeceu: “É um prazer para o nosso [voo] 9751 ser escoltado por belíssimas aeronaves".

 

 

 

Após desembarcar no aeroporto internacional de Brasília, a Chama Olímpica seguiu para o Palácio do Planalto, para cerimônia de acendimento da tocha dos Jogos Rio 2016. “O Brasil se torna agora o País das Olimpíadas com o acendimento da tocha. A emoção, sem sombra de dúvidas, desse dia, vai ficar marcada na nossa memória, no nosso coração e na história do nosso País, e também na história dos Jogos Olímpicos, que são um congraçamento e um chamamento à paz”, disse a presidenta.

Também participaram da cerimônia o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, o comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Ferreira de Leal, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, o comandante da Força Aérea Brasileira, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, além do chefe da Assessoria Especial para Grandes Eventos, general Luiz Felipe Linhares e do diretor do Departamento de Desporto Militar, almirante Paulo Zuccaro.

 

 

 

Tocha

Após a cerimônia, a bicampeã olímpica e capitã da seleção brasileira de vôlei, Fabiana Claudino, recebeu na rampa do Palácio do Planalto, a Tocha Olímpica das mãos da presidenta Dilma Rousseff. A atleta deu início ao percurso do revezamento em Brasília, percorrendo diversos pontos turísticos da capital federal, como a Catedral de Brasília e a ponte JK.

Cerca de 150 alunos do Programa Forças no Esporte (Profesp) também estiveram presentes na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Os atletas do programa Joseias Chagas e Liliane Paulino conduzirão a tocha em parte do percurso, em Morrinhos (GO) e Piracuruca (PI). Atualmente, o Profesp atende 21 mil crianças e jovens e é desenvolvido pelos ministérios da Defesa, do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.