quarta-feira, 24 de Agosto de 2016 13:49h Agência Saúde

Saúde herdou déficit de R$ 3,5 bilhões com estados e municípios

Levantamento do Ministério da Saúde aponta que recursos prometidos desde 2012 para expansão de 2.698 serviços em todo o país deixaram de ser repassados, sobrecarregando governos locais

O governo federal, nos últimos cinco anos, acumulou déficit de R$ 3,5 bilhões/ano com estados e municípios no custeio e ampliação de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). Esses recursos foram pactuados com as secretárias de saúde para a expansão das Unidades de Pronto Atendimento, do SAMU, do atendimento em oncologia e da oferta de leitos de UTI, entre outros serviços que acabaram sem contrapartida da União. Nesta terça-feira (23), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou o levantamento à Secretária de Governo da Presidência da República.

Ao todo, o déficit impacta na habilitação ou funcionamento de 2.698 serviços do SUS, sendo que a maior parte dos valores recai sobre os municípios. As prefeituras deixaram de receber R$ 1,96 bilhão por ano, equivalente a 61% do total, e os estados, R$ 1,23 bilhão/ano. Parte dos gestores arcou com 100% dos serviços, sobrecarregando as contas locais, outros tiveram de suspender o atendimento ou deixar obras sem funcionar. O valor total inclui ainda cerca de R$ 300 milhões/ano de custeio para o Plano de Expansão de Radioterapia e hospitais em fase final de construção.

“O relatório mostra número muito grande de serviços fechados, que estão prontos sem funcionar, além daqueles em funcionamento sem contrapartida federal. Temos equipamentos caros, instalados, mas que não estão disponíveis à população. Esse levantamento é o primeiro passo para sanar esses problemas que são visíveis aos olhos do contribuinte. É preciso planejar melhor e gastar melhor o recurso público. Se há um compromisso, isso tem de ser cumprido”, destacou o ministro Ricardo Barros. A expectativa é conseguir atender o compromisso estabelecido para que os prefeitos e governadores tenham condições de custear esses serviços, ampliando o atendimento à população.

 

Rótulos de Linha

ESTADUAL

MUNICIPAL

Total Geral

2012

R$ 18.582.282,48

R$ 7.960.716,09

R$ 26.542.998,57

2013

R$ 124.396.334,28

R$ 109.288.837,35

R$ 233.685.171,63

2014

R$ 213.754.748,26

R$ 271.564.123,50

R$ 485.318.871,76

2015

R$ 687.065.174,05

R$ 377.158.587,97

R$ 1.064.223.762,02

2016

R$ 194.173.721,55

R$ 1.202.971.582,19

R$ 1.397.145.303,74

Total Geral

R$ 1.237.972.260,62

R$ 1.968.943.847,10

R$ 3.206.916.107,72

 

 

PLANO ORÇAMENTÁRIO

QTD
PROCESSOS

ESTADUAL

MUNICIPAL

Total Geral

UPA - FUNCIONANDO COM PROCESSO DE HABILITAÇÃO;
FUNCIONANDO SEM PORTARIA DE CUSTEIO e QUALIFICAÇÃO
COM PROCESSO DE HABILITAÇÃO

99

8.340.000,00

173.610.000,00

181.950.000,00

UPA - CONCLUÍDA SEM FUNCIONAR, AGUARDANDO PROCESSO

140

 

235.770.000,00

235.770.000,00

CANCER

179

44.192.168,18

53.255.099,62

97.447.267,80

CEGONHA

121

51.677.080,60

55.522.683,08

107.199.763,68

CRACK

46

3.279.639,60

23.350.539,00

26.630.178,60

SAMU

201

19.471.632,00

43.082.833,00

62.554.465,00

SAÚDE MENTAL

216

3.358.980,00

54.097.651,44

57.456.631,44

VIVER SEM LIMITE

89

9.600.000,00

151.296.000,00

160.896.000,00

MAC - DEFICIT, HABILITAÇÃO, RUE, SERVIÇOS NOVOS, TABELA e
UTI (COM CIB e EXECUÇÃO SUPERIOR A 80%)

1544

698.391.848,43

824.418.892,53

1.522.810.740,96

MAC - DEFICIT, HABILITAÇÃO, RUE, SERVIÇOS NOVOS,
TABELA e UTI (SEM CIB)

63

399.660.911,81

354.540.148,43

754.201.060,24

 

2698

1.237.972.260,62

1.968.943.847,10

3.206.916.107,72

 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.