segunda-feira, 28 de Setembro de 2015 10:54h

Sistema de informação desenvolvido pela Conab é destaque em evento internacional

A expertise brasileira em sistematizar as informações de comercialização do mercado hortigranjeiro, desenvolvida pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)

Foi destaque no painel “Sistema de Informações para as Américas”, realizado nesta sexta-feira (25), durante o 29º Congresso da União Mundial de Mercados Atacadistas (WUWM), em Campinas (SP).

A partir do Sistema de Informações dos Mercados de Abastecimento do Brasil (Simab), gerido pela Conab, é possível obter dados mensais sobre volume, preço e origem das frutas e hortaliças comercializadas nas Centrais de Abastecimento (Ceasas) que atendem as principais regiões metropolitanas do país.

De acordo com o gerente de Modernização do Mercado Hortigranjeiro da Companhia, Newton Araújo S. Junior, com estes dados, donos de restaurantes, dirigentes de hotéis, de hospitais e de supermercados, entre outros equipamentos que disponibilizam os produtos hortigranjeiros na rede varejista, além do público em geral, poderão escolher o produto de melhor preço e qualidade ou substituí-lo por um similar no período de entressafra ou nas intempéries.

“Estas informações também servem como ferramenta ao setor público para o desenvolvimento de políticas que objetivem o acesso a uma alimentação saudável e de qualidade à população, a partir do apoio a atividades executadas nas Ceasas”, pondera.
   
O Congresso – O evento trouxe como tema central “O meio ambiente e o futuro dos mercados atacadistas”, devido aos impactos trazidos na produção de alimentos pelas mudanças climáticas que têm ocorrido no planeta. “A mudança climática está afetando a disponibilidade de recursos imprescindíveis, como a energia, a água potável e a produção agrícola, sobretudo nas regiões mais quentes do planeta", ressaltou o presidente da União Mundial dos Mercados Atacadistas (WUWM, na sigla em inglês), Manuel Estrada.

O presidente da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento (Abracen), Mário Maurici de Lima Morais, enfatizou a importância de os mercados atacadistas se reunirem para discutir como enfrentar estes impactos e garantir oferta de alimentos com qualidade. "Vivemos um momento em que, de um lado, estamos consolidando políticas de incentivo e apoio à pequena produção agrícola e, de outro, nos últimos anos, também temos consolidado nosso marco legal a respeito do alimento saudável", destacou.

Participaram do evento cerca de 600 congressistas de 29 países.
Após registrarem alta no mês de julho, os preços das principais hortaliças comercializadas no país no atacado apresentam tendência de queda. É o que aponta o 6º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Centrais de Abastecimento (Ceasas), divulgado nesta quinta-feira (24) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A estabilidade da oferta e a qualidade da alface ofertada impulsionam a diminuição dos preços comercializados no mercado atacadista. Os entrepostos de Belo Horizonte, Goiânia e Rio de Janeiro, no entanto, registraram comportamento diferente dos demais no mês de agosto. Nesses locais a hortaliça registrou alta nos valores devido a problemas pontuais de abastecimento.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.