sexta-feira, 25 de Setembro de 2015 11:48h Ludmilla Duarte, Agência Saúde

SUS é tema de conferência de saúde em Goiás

Segue até este sábado, 26, a 8ª Conferência Estadual de Saúde de Goiás, que reunirá 400 participantes em Goiânia. O evento integra a agenda de discussões da 15ª Conferência Nacional de Saúde (15ª CNS)

Em Goiás, a etapa municipal registrou 246 debates municipais e 18 regionais, mobilizando até agora cerca de 100 mil goianos, a maior participação da história do estado, segundo informou o Conselho Estadual de Saúde.

“O SUS é a maior conquista social do povo brasileiro. É um sistema equânime, humano, igualitário, que cuida e respeita o cidadão. E é papel de todos nós defendê-lo de tentativas de fragilização”, disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Nardi, na abertura do evento.

Palestras, mesas e grupos de trabalho compõem a programação calcada nos oito eixos temáticos da 15ª CNS, além de apresentações culturais e o lançamento da plataforma “Dialoga Brasil”, do governo federal. Entre os participantes, 328 são delegados eleitos na fase anterior de discussões. Ao final do evento – que vai até sábado, 26 -, além de um relatório final, 96 delegados serão escolhidos para representar Goiás na etapa nacional, em Brasília, de 1º a 04 de dezembro, cujo tema é ‘Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro’.

A 15ª Conferência Nacional de Saúde é o maior evento do país na área da Saúde, coordenado pelo Ministério da Saúde e pelo Conselho Nacional de Saúde. A previsão é que 2 milhões de pessoas em todo o Brasil sejam mobilizadas até dezembro nas plenárias populares regionais, na plenária nacional, nas conferências municipais e estaduais e nas conferências livres. Para a etapa nacional, em Brasília, é esperada a participação de 4.322 pessoas, sendo 3.248 delegados eleitos nas conferências estaduais, mais 976 convidados.

Cirurgias eletivas - Para tornar mais eficiente o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) e contribuir para o crescimento do número de cirurgias eletivas realizadas no Brasil, o Ministério da Saúde liberou este ano R$ 5,1 milhões para o Estado de Goiás. A Portaria 1.034/2015, que destina esses recursos, também redefine a estratégia para ampliação do acesso aos procedimentos cirúrgicos eletivos de média complexidade, como cirurgias de varizes, ortopédicas, de urologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas. Os recursos fazem parte de uma estratégia do Ministério da Saúde para garantir o acesso da população aos procedimentos disponibilizados no SUS.

Prontuário eletrônico - O Ministério da Saúde entregou, no início deste mês, 995 computadores para 219 Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Goiás. A medida beneficia mais de 432 mil brasileiros atendidos por essas unidades, distribuídas em 19 municípios do estado. O equipamento reunirá, por meio do prontuário eletrônico, todas as informações de acolhimento do paciente nas diferentes áreas, como pediatria e ginecologia, possibilitando que o profissional de saúde possa ter acesso de forma mais rápida e organizada às informações, o que dará maior agilidade no atendimento.

Laboratórios habilitados - O Ministério da Saúde acaba de habilitar dois Laboratórios de Exames Citopatológicos do Colo do Útero localizados em dois municípios de Goiás. São laboratórios que passam a partir de agora a utilizar critérios do Ministério da Saúde que buscam promover a melhoria dos padrões de qualidade dos laboratórios públicos e privados prestadores de serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS). As unidades habilitadas são responsáveis por verificar o material colhido no papanicolau, exame preventivo considerado fundamental para detectar lesões precursoras do câncer do colo do útero. Serão investidos com esses serviços R$ 3,2 milhões por ano. No geral, a portaria do Ministério da Saúde habilitou 263 laboratórios em todo o país.

Hanseníase – A partir de agosto, agentes comunitários de saúde e equipes do Programa Saúde da Família começaram a percorrer 3,3 mil escolas de 234 municípios, para examinar e tratar mais de 592 mil alunos em Goiás. A ação do Ministério da Saúde ocorre no âmbito da “Campanha Nacional de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma”, cuja meta é distribuir mais de 8 milhões fichas de autoimagem para cerca de 45 mil escolas de todo o país para diagnosticar e tratar hanseníase, tracoma e verminose em alunos de cinco a 14 anos. Com a ação, o Ministério espera aumentar o diagnóstico precoce e identificar comunidades em que a hanseníase, tracoma e verminoses ainda persistem. Os casos suspeitos de hanseníase são encaminhados à rede básica de saúde para confirmação e início imediato do tratamento.

Saúde bucal - A população de Goiás está sendo beneficiada com a melhoria do atendimento especializado em saúde bucal. O Ministério da Saúde destinou R$ 1,9 milhão anual para 28 Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) de 24 cidades do estado. Em todo o Brasil, 673 municípios foram contemplados com mais de R$ 48 milhões por ano para que os estabelecimentos ampliem a qualidade dos serviços oferecidos à população. O incentivo faz parte das iniciativas de modernização da gestão da saúde que vêm sendo promovidas pelo Governo Federal, com adoção de novos padrões e indicadores de qualidade.

Sobre o SUS – As bases para a criação do Sistema Único de Saúde (SUS) foram estabelecidas na 8ª Conferência Nacional de Saúde, em 1986, e depois consolidadas na Constituição Federal de 1988. Importantes estratégias de saúde pública do país, como SAMU, Rede Cegonha e programa Saúde da Família tiveram suas sementes lançadas em conferências nacionais.

O SUS é um dos maiores sistemas públicos do mundo. Só em 2014 foram realizados mais de 4,1 bilhões de procedimentos ambulatoriais e 1,4 bilhão de consultas médicas por meio do SUS no país. Em seus 27 anos de existência, o SUS conquistou uma série de avanços para a saúde do brasileiro e se firmou como modelo de assistência e promoção à saúde em todo o mundo.

Reconhecido internacionalmente, o Programa Nacional de Imunização (PNI), responsável por 98% do mercado de vacinas do país, é um dos destaques. O Brasil garante à população acesso gratuito a todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), disponibilizando 44 imunobiológicos, sendo 27 vacinas, na rede pública de todo o país.

Também é no SUS que ocorre o maior sistema público de transplantes de órgãos do mundo. O programa cresceu 63,85% na última década, saltando de 14.175 procedimentos em 2004 para 23.226 em 2014. Por meio do SUS também é oferecida assistência integral e gratuita para a população de portadores do HIV e doentes de Aids, renais crônicos, pacientes com câncer, tuberculose e hanseníase.

Serviço
8ª Conferência Estadual de Saúde de Goiás
Tema: “Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro”
Data: 23 a 26 de setembro de 2015
Horário: 9h às 18h
Local: Augustus Hotel - Av. Araguaia, 702, Setor Central, Goiânia (GO)

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.