sexta-feira, 20 de Março de 2015 12:56h Tatiana Alarcon

Turismo investe em inovação para ampliar a competitividade

Hotéis, restaurantes e destinos turísticos aderiram a estratégias criativas para conquistar o viajante, colocando o turismo na vanguarda do desenvolvimento do país

Para se destacar no mercado e ganhar o turista, empresas ligadas ao setor estão inovando nas relações com seus clientes. Os exemplos vão de um hotel que oferece câmeras panorâmicas, ao estilo Go Pro, para que seus hóspedes registrem a viagem; passando por um ônibus turístico anfíbio que passeia pelas ruas do Rio de janeiro e navega pela Baía de Guanabara, até uma companhia aérea que anunciou, na última semana, que passaria a permitir o embarque de cães e gatos na cabine de passageiros do avião.
No turismo brasileiro, a adoção de medidas criativas é uma tendência. E a tecnologia tem se mostrado o grande motor desse mercado de inovação. A cada dia surgem novos aplicativos para celulares com informações sobre viagens, que comparam preços e alertam sobre promoções. O turista estrangeiro que visita o Rio de Janeiro tem à disposição cardápios de restaurantes digitais em inglês e espanhol. Se o destino for alguma cidade do Nordeste, a agenda de shows e eventos, hospedagem e restaurantes pode ser consultada pelo celular.

“Ser inovador significa compreender as tendências do mercado, antecipar as mudanças e se preparar para gerar valor ao seu público, tonando-se mais competitivo como destino turístico”, diz Helena Costa, assessora especial do Ministério do Turismo. As iniciativas, segundo ela, fortalecem o turismo como vetor econômico de desenvolvimento do país. “Iniciativas simples podem dar novo fôlego ao negócio, reduzir custos, conquistar o cliente aumentar o faturamento de uma empresa”, disse.

Experiências mais amplas, que envolvem segmentos do Turismo, começam a despontar pelo país. Em Minas Gerais, o Instituto Inhotim, que integra natureza e arte contemporânea, impressiona por ser o primeiro museu a céu aberto do mundo. No Rio Grande do Sul, um passeio que mistura fauna, cultura e história foge dos típicos passeios às fábricas de chocolates: turistas do Parque Gaúcho de Gramado visitam também o zoológico. Um hotel alternativo em Campos do Jordão (SP) oferece um programa de “desintoxicação digital” e sugere que o hóspede deixe de lado o celular, o computador e a internet para curtir a estadia – e tem feito sucesso.

No Mato Grosso do Sul, uma operadora de ecoturismo encanta viajantes ao oferecer um passeio de bicicleta pelas belezas naturais da região ao mesmo tempo que incentiva a plantação de mudas de árvores pelo caminho. Em Socorro (SP), um hotel fazenda desenvolveu equipamentos de segurança para que paraplégicos e tetraplégicos possam realizar atividades de aventura como tirolesa e cavalgada. Já Recife e Fernando de Noronha tornaram algumas praias acessíveis a cadeirantes e pessoas com mobilidade física reduzida.

Turismo responsável

Práticas inovadoras voltadas para a responsabilidade social e sustentabilidade também têm se destacado no setor. Hoje já é possível encontrar hotéis totalmente adaptados para pessoas com necessidades especiais, como um hotel de Gramado.

A preocupação com a preservação do meio ambiente também ganhou destaque. Um dos maiores parques aquáticos do Brasil, localizado no interior de São Paulo, tem conseguido evitar o desperdício com a reciclagem dos milhões de litros d’água que abastecem todo o complexo. Outro grande parque temático de Pernambuco inovou com a primeira roda panorâmica iluminada com LED e um programa de coleta seletiva de lixo.

Investimento

Mesmo com o desenvolvimento das ações nos mais diversos setores, a inovação no turismo ainda é um desafio para o Brasil. De acordo com a doutora em desenvolvimento sustentável pela Universidade de Brasília e especialista em turismo e inovação, Daniela Rocco, é mito dizer que inovação é uma estratégia cara. Segundo ela, é preciso investir em pesquisas científicas que envolvam o setor.

Com esse propósito, os ministérios do Turismo e da Ciência, Tecnologia e Inovação firmaram no fim do ano passado uma parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que oferecerá bolsas para pesquisadores do tema no Brasil e no exterior, com abrangência para estudantes de diversos campos do conhecimento.

“O turismo é capaz de aprimorar, através da inovação, a produtividade, a eficiência e a oferta turística brasileira”, disse o ministro Vinicius Lages. “Precisamos reforçar o conceito de cidades inteligentes enquanto destinos turísticos inteligentes”, disse.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.