terça-feira, 19 de Janeiro de 2016 11:07h

Uma horta-jardim no Ministério da Agricultura

Espaço é destinado à ações educativas e ao convívio com a natureza

A Esplanada dos Ministérios, em Brasília, é formada por um conjunto de 17 prédios idênticos, projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Um deles abriga uma horta: no Ministério da Agricultura, o visitante encontra verduras, legumes e ervas medicinais, mas que não devem ser colhidos. A horta é um lugar de contemplação, relaxamento e ações educativas do ministério. É o que se pode chamar de uma “horta-jardim” – uma ideia de funcionários do ministério que foi colocada em prática pela ministra Kátia Abreu.

A horta, inaugurada em setembro do ano passado, é frequentada pelos funcionários do Ministério da Agricultura e de outros ministérios, principalmente na hora do almoço. Ela fica bem ao lado do restaurante, no térreo do prédio anexo. Depois de comer, as amigas Lucy, Bárbara, Ana e Cláudia gostam de sentar debaixo de um carramanchão e bater papo. “Nossas amigas são sócio-fundadoras desse lugar. A gente vinha pra cá mesmo antes mesmo desse jardim, mas agora ele está muito mais bonito. É um momento de lazer excelente”, diz Lucy Frota, coordenadora de Cooperação Internacional do Ministério da Agricultura.

 

A horta-jardim tem 360 metros de canteiros de alvenaria, além de pneus e caixas de isopor reciclados, que também servem de canteiros. Neles foram plantadas hortaliças como taioba, couve, cebolinha, tomate, salsa, pimenta biquinho... Ervas aromáticas como orégano, alecrim e manjericão... Plantas medicinais como poejo, menta e vinagreira...Tudo identificado com uma plaquinha. O chão é coberto com pedras de rio.

 

O visitante pode passear entre as plantas num caminho de toras de madeira de árvores mortas, cortadas no formato de anel. Os bancos são também de árvores mortas do Cerrado e foram fabricados por um artesão de Pirenópolis (GO). Os canteiros suspensos foram pintados com animais e plantas, com tinta bem colorida. “A ideia é mostrar que se pode fazer uma horta em qualquer lugar e de qualquer tamanho”, diz o coordenador de Agroecologia, Rogério Dias, que também faz as vezes de jardineiro.

 

O espaço é aberto à visitação pública. Marilene Nodo da Silva, funcionária do Ministério do Trabalho, levou a filha Maria Luíza, de 8 anos, para conhecer a horta-jardim. E aproveitou para tirar fotos da menina. “Lá na minha escola tem horta e sempre gosto de conhecer outras. Eu vejo o nome de cada planta”, conta Maria Luíza.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.