quinta-feira, 26 de Março de 2015 13:50h

Volkswagen do Brasil completa 45 anos de exportação com mais de 3,3 milhões de veículos enviados a 147 países

Em 2014 a Volkswagen foi a marca que mais exportou veículos no País com 92.553 unidades embarcadas

Gol é o carro mais exportado da indústria nacional com 1,2 milhão de unidades

up! brasileiro também é exportado para Argentina desde seu lançamento

A Volkswagen do Brasil, maior fabricante histórica de veículos do País e líder em exportações no setor automobilístico, acaba de completar 45 anos do primeiro embarque de veículos, quando foram exportadas 13 unidades dos modelos Kombi e Variant, com destino ao México e países da América do Sul (1970). Hoje, a marca já totaliza mais de 3,3 milhões de unidades montadas (automóveis e comerciais leves - sem contabilizar CKD) exportadas para 147 países nos cinco continentes.
“A exportação é estratégica e vital para empresa e para o setor. É, sem dúvida, uma alternativa importante às variações do mercado interno. Com esse marco nas exportações, a Volkswagen do Brasil leva a qualidade dos veículos feitos pelos brasileiros para diversos outros mercados no mundo”, declara o presidente da Volkswagen do Brasil, David Powels.

Atualmente, a Volkswagen do Brasil tem a América Latina como seu principal mercado de exportações, sendo que Argentina e México são os maiores clientes. Segundo levantamento do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Volkswagen do Brasil foi a 32ª maior empresa exportadora do País em 2014, considerando todos os setores, totalizando US$ 1.140.584.013,00. Desde 1998 (período divulgado pelo MDIC), a marca já exportou US$ 19.093.399.769,00. Em 2014 foi a maior exportadora de veículos com 92.553 unidades.
Com mais de 60 anos de atividades, a Volkswagen do Brasil foi a primeira fábrica da marca fora da Alemanha e já foi estrategicamente instalada próximo ao Porto de Santos, contribuindo para geração de divisas no País. Atualmente, o Brasil está entre os três maiores mercados para o Grupo Volkswagen no mundo, depois somente da China e da Alemanha.

A empresa utiliza os portos de Santos (SP), São Sebastião (SP) e Paranaguá (PR) para exportar os veículos, dada a proximidade estratégica com as fábricas localizadas em São Bernardo do Campo – Anchieta (SP), Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR).

Os modelos mais exportados da Volkswagen do Brasil (até dezembro/2014)

Gol 1.257.763 unidades
Fox    532.038 unidades
Voyage    381.793 unidades
Golf    281.312 unidades
Passat    200.578 unidades
Saveiro    189.422 unidades
Parati    168.201 unidades
Kombi      94.334 unidades
Fusca      57.726 unidades
Polo Sedan      50.361 unidades
Brasília      16.936 unidades
Polo        9.721 unidades
Santana        9.099 unidades
Quantum        8.090 unidades
up!        8.045 unidades
TL        7.024 unidades
Variant        3.637 unidades
Pointer        1.570 unidades
SP           680 unidades
Logus           555 unidades
Variant 2           351 unidades
Karmann-Ghia             47 unidades


Curiosidades das exportações

• As exportações da Volkswagen do Brasil começaram em fevereiro de 1970, quando 13 unidades dos modelos Kombi e Variant foram exportadas para o México e países da América do Sul.

• Em 1972 os volumes exportados já chegavam a 7.204 unidades. Este número expressivo fez a empresa perceber a grande oportunidade de tornar-se líder em exportação (automóveis e comerciais leves).

• Um dos maiores contratos de exportação foi com o Iraque, para onde foram exportadas 170 mil unidades do Passat de 1983 a 1988.

• Outro grande contrato ocorreu em 1987, com o Projeto 99 (Voyage e Parati) para o mercado norte americano (Canadá e EUA). Foram dois anos de exportação da Parati com 25.022 unidades e sete anos do Voyage com 202.062 unidades exportadas.

• Em 2000, após o sucesso das exportações do Voyage e da Parati, a Volkswagen do Brasil anunciou a volta ao mercado norte americano (Canadá e EUA), considerado um dos mais exigentes do mundo, com as exportações do modelo Golf. Foram 137.925 unidades do modelo para os EUA no período de 2000 a 2005 e 75.063 unidades para o Canadá entre os anos de 2000 a 2009.

• O Gol com motor a diesel foi vendido entre 2000 e 2008 para Argentina (14.562 unidades no período), Uruguai (1.219 unidades) e Paraguai (898 unidades).

• Em junho de 2004 a Volkswagen comemorou 1,5 milhão de unidades exportadas. O veículo que representou esse marco foi um Gol destinado à Venezuela.

• O ano de 2005 registra o ápice da exportação, com a abertura dos mercados da África e Oriente Médio, mais uma vez a Volkswagen do Brasil superou desafios levando produtos para países com diferentes exigências.

• Os produtos da Volkswagen do Brasil (automóveis e comerciais leves), já marcaram presença na Europa, África, Ásia e Américas.

• Com a criação do Mercosul em 1991 inicialmente composto por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, no qual os objetivos primordiais eram a eliminação das barreiras tarifárias e não-tarifárias no comércio entre os países membros, o impacto geral sobre a performance da indústria automobilística foi extremamente positivo, considerando que esses países tornaram-se um importante polo de atração de investimentos estrangeiros diretos.

• Em alguns países os modelos receberam outro nome, como o Gol no México, Rússia e Egito chamou-se Pointer ou mesmo o Fox, que no México chamava-se Lupo.

• Entre 2004 e 2005, o Gol foi exportado para a Rússia.

• Ucrânia, Turcomenistão e Azerbaijão receberam o Gol, entre 2005 e 2006, sendo que o automóvel sofreu adaptações devido à grande diferença climática em relação ao Brasil.

• China e Irã chegaram a fabricar o Gol em CKD a partir de peças exportadas do Brasil.

Gol: o modelo mais exportado da história da indústria automobilística brasileira

O Volkswagen Gol é o modelo mais exportado da história da indústria automobilística brasileira, tendo totalizado, em 2014, mais de 1,2 milhão de unidades enviadas a 66 países das Américas, África, Ásia, Oriente Médio e Europa. O modelo é também o mais produzido da história da indústria nacional, com mais de 7,5 milhões de unidades fabricadas no Brasil.
O Gol começou a ser exportado já no ano de seu lançamento, 1980, quando foram enviadas 49 unidades para o Paraguai e Nigéria. Atualmente, os principais mercados do Gol no exterior são o México e a Argentina, onde o carro brasileiro liderou o mercado por mais de 12 anos consecutivos.

O Gol exportação passa por adaptações apenas para se adequar às exigências legais de cada país. Tecnicamente, a principal mudança ocorre nos sistemas de injeção e gerenciamento dos motores para rodar com gasolina sem adição de etanol, que difere do combustível vendido no Brasil.
Para poder ser exportado para a Rússia, por exemplo Gol passou por testes de resistência para enfrentar baixas temperaturas, que podem chegar a 40ºC negativos. Além da umidade relativa do ar entre 20% e 90%, foram simuladas as mais variadas condições climáticas entre 40ºC e 60ºC negativos. Os componentes que receberam avaliação extremamente rigorosa foram elétricos, guarnições, motor e câmbio. O projeto foi realizado entre 2004 e 2005, com 1.609 unidades exportadas.

up! para a Argentina

A Volkswagen do Brasil iniciou a exportação do modelo up! em junho do ano passado, para a Argentina. Também com 2 e 4 portas, o modelo é comercializado nas versões: take up!, move up!, high up!, black up!, red up! e white up!.

Voyage: exportado para 58 países

Com mais de um milhão de unidades vendidas em toda  sua história, o sedã Voyage é o derivado do Gol de maior sucesso. Lançado em 1981, foi totalmente projetado e desenvolvido no País e, ao longo de seus mais de 30 anos de história, já registrou mais de 381.793 unidades exportadas, para 58 países, sendo o terceiro modelo mais vendido pela Volkswagen do Brasil no Exterior.
Uma curiosidade sobre as exportações do Voyage, que significa “viagem” em francês, é que o sedã somente é comercializado com este nome na Argentina, onde também foi vendido com o nome Gacel (‘gazela’, em espanhol). Nos demais países da América do Sul, América Central e México, o Voyage é conhecido como Gol Sedan. Nos Estados Unidos, onde foi vendido de 1987 a 1993, foi chamado de Fox (o atual modelo com este nome ainda não existia) e somou mais 202 mil unidades comercializadas em um dos maiores contratos de exportação já realizados no Brasil.

Passat Iraque

Em 1983, teve início uma das primeiras grandes operações de exportação da Volkswagen do Brasil: o Passat, famoso por suas características de durabilidade e estilo, agradou também o mercado iraquiano. O projeto terminou em 1988, com aproximadamente 170 mil unidades vendidas. As adaptações para o mercado se resumiram em substituição de itens sensíveis às altas temperaturas e adaptação da suspensão às duras condições de piso locais.
Golf EUA e Canadá

Aproveitando a oportunidade aberta pelo Projeto 99 (Voyage e Parati), com o qual a Volkswagen do Brasil foi certificada como apta a atuar em mercados extremamente competitivos e exigentes, o Golf fabricado em São José dos Pinhais também atendeu às expectativas dos consumidores norte-americanos e canadenses.
O programa para os Estados Unidos foi realizado entre os anos 2000 e 2005, com 137.925 unidades exportadas; para o Canadá, as exportações foram de 2000 a 2009, com 75.063 unidades.

Fox Europa

O Fox tornou-se realidade para os europeus a partir de 2005. O compacto, inteiramente desenvolvido e produzido pela Volkswagen do Brasil, foi apresentado oficialmente no 15º Salão do Automóvel de Leipzig, na Alemanha, como principal novidade do estande do Grupo Volkswagen. Com o slogan “O máximo em veículo pelo mínimo em dinheiro”, o carro foi apresentado como um compacto direcionado à nova geração urbana. O programa foi encerrado em julho de 2011, com 305.507 unidades exportadas.
Total Flex

A Volkswagen do Brasil iniciou em janeiro de 2009 a exportação de veículos Total Flex para o Paraguai. Após negociações e testes de combustíveis, os veículos foram exportados exatamente nos mesmos padrões dos comercializados no mercado brasileiro. O pioneiro foi o Gol, mas atualmente o país também recebe Voyage, Fox, CrossFox e Saveiro com motores bicombustíveis. O Paraguai é único país que importa veículos com a tecnologia que permite abastecimento com gasolina, etanol ou a mistura dos dois combustíveis em qualquer proporção.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.