terça-feira, 28 de Janeiro de 2020 12:39h Portal G37

Polícia prende jovens que violaram jazigo para tirar selfies com crânio em Dores do Indaiá.

Os três homens, de 19 e 20 anos, posaram para inúmeras fotos ao lado de um crânio retirado de um jazigo no cemitério municipal

A Polícia Militar de Dores do Indaiá, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, prendeu três jovens suspeitos de violar um importante jazigo do cemitério municipal Parque Cristo Rei, retirar um crânio do sepulcro e ainda fotografar inúmeras selfies posando com a ossada e imitando caretas.

O crime aconteceu na manhã desse domingo (26) e, após perceber a chegada de funcionários do cemitério para o turno, o trio tentou escapar pulando entre os túmulos. Após alguns minutos de fuga, a polícia os encontrou machucados em uma rua da cidade e conseguiu prendê-los por vilipêndio de cadáver.

Aos militares, os suspeitos apresentaram versões contraditórias a respeito da razão do crime. Um deles tem 19 anos e os outros dois têm 20. Após esse primeiro momento, decidiram permanecer em silêncio. 

No instante em que ainda eram ouvidos suspeitos e funcionários do Parque Cristo Rei, cachorros apareceram e começaram a brincar com o crânio, largado pelos suspeitos ao lado do jazigo durante a tentativa de fuga. Com isso, o sepulcro precisou ser novamente fechado. 

Fuga 

À polícia, um funcionário do cemitério contou ter chegado para seu turno e encontrado os três jovens com atitudes suspeitas. Ao perceber a presença do homem, o trio começou a pular pelos jazigos até alcançar o muro que separa o cemitério da rua. Um deles esqueceu o próprio celular com a câmera ligada no lugar onde o crime aconteceu. O crânio estava próximo ao jazigo violado. 

Os servidores municipais telefonaram então para os militares que, após vigília na cidade, encontraram os garotos trajando as roupas descritas pelas testemunhas do crime. Durante a fuga, dois dos suspeitos acabaram se machucando e precisaram receber atendimento médico após serem detidos. 

Selfies

Após a prisão, um dos suspeitos liberou a tela de bloqueio do celular deixado para trás e, nele, os militares encontraram várias fotos onde todos os três apareciam segurando o crânio. Em algumas das imagens, os suspeitos fazem caretas e poses escandalosas com a ossada. 

 

 

Fonte - Jornal O Tempo

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.