segunda-feira, 7 de Dezembro de 2015 09:21h Atualizado em 7 de Dezembro de 2015 às 09:24h.

7ª Ciamesp comemora dois anos de instalação em Divinópolis

“O que a gente vê nos jornais é pura bandidagem, é pura safadeza. A sociedade e os cidadãos, em todos os níveis, vê isso e acabam replicando, praticando o que eles têm visto de exemplo”

“O que a gente vê nos jornais é pura bandidagem, é pura safadeza. A sociedade e os cidadãos, em todos os níveis, vê isso e acabam replicando, praticando o que eles têm visto de exemplo”, desabafa o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, Coronel Laércio
Carina Lelles
Em uma solenidade marcada pela emoção do comandante da 7ª região da Polícia Militar (RPM), Coronel Laércio, ao falar sobre a tropa e os desafios da profissão, foi celebrado ontem os dois anos de implantação da 7ª Companhia de Missões Especiais (Ciamesp) em Divinópolis, que está sob o comando do Tenente Coronel Marcelo Augusto.
Segundo o comandante da Ciamesp, o combate ao tráfico de drogas e, principalmente, a repressão aos crimes violentos, como assaltos, roubos e homicídios, foram os destaques destes dois anos. “Grandes operações que a gente realiza em apoio à Polícia Federal, também com a Polícia Civil e também o policiamento em eventos. A gente trabalha em missões específicas, mas tem várias atividades que a gente tem realizado no dia-a-dia”, avalia o Tenente Coronel Marcelo.
Dentro da 7ª Ciamesp, que atende a várias cidades da região, o comandante avalia que Divinópolis não está entre as mais violentas. “Divinópolis não é a cidade mais violenta do estado, nem mesmo da região Centro-Oeste. Posso afirmar que aqui na nossa região, nesses 50 municípios atendidos, por ser a maior cidade, é a cidade que tem a maior capacidade operacional, maior capacidade de resposta em relação a qualquer tipo de crime que venha acontecer aqui. Nós temos um grupo de policiais qualificados, com equipamentos, com o material apropriado para atuar em qualquer tipo de crime e também em ocorrências mais complexas. Aqui nós temos uma grande capacidade operacional, uma realidade diferente de outros municípios menores e também de outros municípios com a mesma proporção de Divinópolis, ou em outras regiões do estado. Posso avaliar em relação a isso é que nós temos problemas com a criminalidade, mas não é um problema só de Divinópolis, é um contexto que estamos vivendo em todo o país”.
Para o futuro, o comandante afirma que o projeto é audacioso. “Nós temos um projeto bastante audacioso. A conquista da sede própria já foi algo extraordinário, até mesmo na história da PM, a unidade ainda com menos de dois anos, já conseguimos essa sede, e aqui tem um projeto muito interessante com complexo esportivo, projetos que vamos desenvolver aqui dentro, em parceria com a Companhia de Meio Ambiente e Trânsito, que também foi instalada aqui. Temos um espaço adequado para projetar muitas obras, muitas melhorias, principalmente na capacitação do policial, aqui vai ser instalado um stand de tiros já no inicio do ano que vem. E isso tudo certamente vai refletir numa melhor prestação de serviços para a comunidade. Esse espaço abriu um leque de oportunidades.

 

Homenagens
Alguns militares foram homenageados na solenidade, entre eles está o Sargento Alexandre Fonseca, que recebeu o Mérito Militar por ter 21 anos de profissão sem ter recebido nenhuma advertência, além de uma moção congratulatória entregue pela Câmara Municipal.
Quando questionado se as homenagens dão uma sensação de dever cumprido, o militar é categórico: “Eu acredito que tem muita coisa ainda pra se fazer, para combater a criminalidade, proteger a sociedade de Divinópolis e todo o estado de Minas Gerais. Então é muito gratificante pra gente receber essas homenagens, é um reconhecimento que é um trabalho que está sendo bem feito, juntamente com os colegas de toda a companhia da PM em si. Já trabalhei em diversas áreas aqui em Divinópolis, então esse é o fruto que vim plantando desde o inicio até hoje, onde estou colhendo agora e possivelmente mais pra frente, a gente vai colher ainda mais. É o trabalho e dedicação de todos, de profissionalismo que leva sermos reconhecidos e sendo homenageados nesse aniversario da Ciamesp”.

 

Desabafo
Coronel Laércio explica que a Ciamesp tem uma missão específica e foi instituída em Divinópolis para ter força de reação capaz de atender a ocorrências mais complexas, como ocorrências com reféns, conflitos agrários, assaltos a banco, combate ao trafico de drogas, combate aos roubos. “A gente destaca que, neste curto espaço de tempo, dois anos, o pessoal tem trabalhado muito, tem feito um ótimo serviço à sociedade, combate a esses crimes graves com muito resultado. Infelizmente, às vezes, os resultados não são aqueles que nós esperávamos, aqueles que a sociedade merecem e esperam. São muitos os fatores que interferem no sucesso desses resultados”.
Sobre estes fatores que “interferem no sucesso dos resultados”, Coronel Laércio desabafa: “A justiça tem que funcionar, o sistema penitenciário tem que funcionar. Hoje vemos, infelizmente, nosso país com uma proliferação de bandidos em todas as instâncias. É bandido demais em todos os seguimentos. O que a gente vê nos jornais é pura bandidagem, é pura safadeza. A sociedade e os cidadãos, em todos os níveis, veem isso e acabam replicando, praticando o que eles têm visto de exemplo. Além do que, essa corrupção, essa safadeza, a impunidade é uma coisa absurda, em larga escala, é o que contribui, na mesma proporção, à ocorrência do crime. Hoje a gente prende um bandido por um crime grave e esse criminoso está solto daqui a pouco, aprontando de novo”.
O comandante ainda completa dizendo que: “São vários fatores que contribuem pra que o Brasil esteja nesse fosso que está. Não só em segurança pública, que esse é um resultado grave e imediato, mas também temos um resultado imediato na saúde, que está um caos absurdo, escandalosamente triste e perversa contra o cidadão que precisa daquela assistência e que não tem, pois o dinheiro que deveria ser destinado à saúde, vai para os ralos da ratoeira, vai para os bolsos desses safados, sem vergonha, que nós colocamos lá em cima e deveriam cuidar do povo, porém só cuidam do bolso e do interesse deles, do grupo deles”, finaliza.

 

Créditos: Divulgação PM

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.