quarta-feira, 19 de Setembro de 2012 09:21h Gazeta do Oeste

Ação de bandidos em joalheria foi "completamente amadora", diz militar

A polícia continua as buscas por três bandidos que invadiram a joalheria Manoel Bernardes no Shopping Del Rey, no Bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte, na tarde de terça-feira. Segundo o tenente-coronel Idzel Fagundes, do 34º Batalhão da Polícia Militar (PM), as buscas serão mais direcionadas nesta quarta-feira porque já há suspeitos para o assalto. De acordo com o militar, a "ação foi completamente amadora" dando a entender que não são criminosos especializados nesse crime. “Eles não foram presos por sorte”, disse o Fagundes.

Os três bandidos renderam dois seguranças, um do centro comercial e um da loja, que foram obrigados a ficar de joelhos enquanto os ladrões roubavam vários relógios na vitrine. Na fuga, disparam pelo menos um tiro no estacionamento. Desde o ano passado já ocorreram pelo menos quatro assaltos a joalherias no mesmo shopping, o terceiro no mesmo local. “Os vigias foram obrigados a se ajoelhar. Eles estavam com uma marreta e tentaram quebrar as vitrines, mas não conseguiram. Quando iam tentar novamente, a gerente abriu o local e entregou as peças”, afirmou uma balconista da loja.

O prejuízo não foi divulgado pelos responsáveis da Manoel Bernardes nem do shopping. Os ladrões levaram dezenas de relógios avaliados entre R$ 700 e R$ 1,8 mil. Na fuga houve correria no shopping e, no estacionamento, um dos bandidos deu um tiro para o alto. Segundo testemunhas, eles fugiram em direção ao Aglomerado do Sumaré, em duas motocicletas. A PM apenas negou que tenha ocorrido confronto a tiros entre seus agentes e os ladrões no estacionamento do shopping.

Em nota, o Shopping Del Rey informou que ofereceu apoio à loja e vai colaborar com as autoridades para esclarecer o assalto. Explica que investe constantemente na qualificação do quadro de pessoal com palestras, treinamentos e simulações e recentemente, aumentou em 30% o efetivo de segurança.

A funcionária de uma loja vizinha à joalheria acompanhou a ação dos criminosos. “Estava chegando para trabalhar quando vi os suspeitos rendendo os dois seguranças. Um foi obrigado a ficar do lado de fora enquanto o outro foi levado para dentro da joalheria. Foi muito rápido”, disse a caixa Tainá Gomes Silva.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.