quarta-feira, 17 de Outubro de 2012 10:40h Erik Ulysses

Acidente de transito envolvendo produto químico é simulado na MG-050

Na manhã de o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar Rodoviária e a concessionária Nascentes da Gerias, que administra a MG-050, simularam um acidente de transito envolvendo um veículo que transportava produto perigoso como forma de treinar as suas equipes para situações reais.

 


A simulação que ocorre anualmente tem como objetivo uma maior integração entre as equipes dos três órgãos, fazendo com que o tempo de socorro em uma situação real seja reduzido, buscando assim aumentar a qualidade do atendimento. O tenente do Corpo de Bombeiros Carlos Henrique Viana, explicou como foi a ocorrência simulada na manhã de ontem e quais foram os procedimentos adotados pelas equipes de bombeiros. “Hoje nós temos uma simulação envolvendo uma caminhonete conduzindo um produto perigoso, no caso um produto corrosivo, e um veículo de passeio que veio a se chocar na caminhonete. Então dentro do veículo tem uma vítima e essa vítima será retirada do veículo pela guarnição de produtos perigosos, fazendo todos os procedimentos de descontaminação dessa vítima e logo em seguida passará para a guarnição da unidade de resgate que fará o transporte. E também as guarnições irão fazer a contenção desse material, para que não venha prejudicar o meio ambiente e para que também não venha a ocasionar novas vítimas” contou o tenente Viana.

 


Foram empregadas na simulação diversas viaturas e militares da Polícia Militar Rodoviária, dez bombeiros militares e três viaturas do Corpo de Bombeiros, sendo uma unidade de resgate, uma unidade de combate a incêndio e a outra de controle de produtos perigosos. A Nascentes das Gerias participou com cerca de 20 pessoas.

 


De acordo com Marcelo Aguiar, gestor de operações da Nascentes da Gerais, esse tipo de operação é importante para a MG-050, uma vez que devido a rodovia ligar a região central do estado ao interior paulista o fluxo de veículos, sobretudo caminhões que transportam materiais perigosos, é grande. “Esse é um trabalho que faz parte do plano de segurança da rodovia. A gente anualmente faz essa simulação com a intenção de preparar as equipes para o atendimento de um acidente com carga química” afirmou Marcelo.

 


Para o major Rodrigo Teixeira Coimbra, comandante da 7ª Companhia Independente de Meio Ambiente e Trânsito Rodoviário, a simulação teve como real motivo o treinamento das equipes. Ele ainda afirmou que esse tipo de acidente é comum na MG-050. “Essa simulação tem como objetivo realmente treinar para o atendimento de ocorrências que envolvam produtos perigosos que são muito comuns em nossas rodovias. É muito comum esse tipo de acidentes. A gente já observa pelas placas que são veículos com produtos perigosos. Então, o que se tem que fazer é realmente isolar o local, se manter afastado, acionar a Polícia Militar Rodoviária e o Corpo de Bombeiros” afirmou o major.

 


O tenente do Corpo de Bombeiros, Jonas Link contou como é o processo de resgate e desintoxicação de uma vítima em um acidente envolvendo produtos químicos. “No momento da desintoxicação a gente retira a vítima imobilizada, posiciona ela no acesso entre a zona quente, que é a área quente da ocorrência, e a parte fria, que é onde todos os profissionais de segurança tem acesso, e faz a limpeza dela dependendo do produto. Assim que é feito a limpeza, retirada as vestes da pessoa e ela é enxaguada novamente a gente conduz para o hospital” contou.

 


O tenente explicou ainda que a roupa utilizada pelos bombeiros durante o resgate foi nível de proteção A, que é um roupão de segurança para produtos tóxicos e químicos. Os roupões possuem em seu interior cilindros de ar comprimido, evitando assim que os bombeiros venham a inalar algum gás tóxico proveniente da substância.

 


A ocorrência foi realizada em cerca de 20 minutos, contando desde a chegada das equipes de resgate. Para o tenente Link o atendimento foi feito em um tempo considerado satisfatório.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.