quinta-feira, 25 de Abril de 2013 05:53h Atualizado em 25 de Abril de 2013 às 06:15h. Erik Ullysses

Acidente no bairro Porto Velho deixa trânsito lento no local

Caminhão colidiu com um Voyage quando entrava na rotatória da praça Dulphe Pinto de Aguiar. O carro foi arrastado até bater em um poste.

Um acidente no início da tarde de ontem (24) na praça Dulphe Pinto de Aguiar, bairro Porto Velho, deixou o trânsito tumultuado, além de ter chamado a atenção de quem passava pelo local. Ao entrar na rotatória da praça, um caminhão colidiu na lateral esquerda de um Voyage, que acabou sendo arrastado até se chocar com um poste. O carro era dirigido por uma senhora de 60 anos. Apesar do susto, e do estado que o carro ficou, ninguém se feriu.
De acordo com o tenente Wellington Campos Silva, os dois veículos faziam a conversão na rotatória, quando o caminhão acabou por atingir o carro. “As informações que nós obtivemos é que essa senhora estava à direita do caminhão e ao realizar a conversão aqui na praça ela foi abalroada pelo lado esquerdo, sendo arrastada até colidir com o poste, onde parou” explicou. Segundo ele, testemunhas contaram que o caminhoneiro não avistou o carro no momento em que entrava na rotatória.
Iara Ferreira, de 60 anos, que dirigia o Voyage, placa GQY-1981, reforçou o que foi dito pelo tenente Wellington, e explicou que mostrou a seta indicando que iria entrar na rotatória. “Eu e o caminhão estávamos vindo. Ele a minha esquerda e eu a direita, dando seta para entrar quando ele entrou junto comigo. O caminhão foi chegando. Aí pensei: ‘Nossa o caminhão bateu na minha traseira’. Aí ele foi se aproximando, bateu em minha porta e veio arrastando, até aqui. O caminhão por ser muito pesado me jogou no poste” afirmou. Ela relatou que conseguiu soltar o sinto de segurança e pulou a janela do veículo com a ajuda de um homem que passava pelo local.
Na fração de segundos em que se passou o acidente, D. Iara pensou que estava morta. Ela considera um milagre ter saído sem ferimentos do veículo, já que o mesmo ficou destruído. “O susto foi muito grande, muito grande mesmo! Na hora eu pensei que iria morrer. Os vidros começaram todos a quebrar em cima de mim, quando o carro bateu aqui no poste. Mas eu estou viva e com um alívio muito grande” falou.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.