sábado, 8 de Novembro de 2014 04:46h Atualizado em 8 de Novembro de 2014 às 04:52h. Carina Lelles

Acusado de triplo homicídio é condenado a 36 anos de prisão

Crime aconteceu em Nova Serrana em abril do ano passado e o jovem foi preso no mês seguinte, em Divinópolis

O julgamento de Daivid Santos Nunes, de 21 anos, terminou na condenação do réu em 36 anos de prisão. Ele foi acusado de matar três jovens, em plena luz do dia, no Centro de Nova Serrana, em abril do ano passado.
Daivid chegou ao julgamento algemado pelas mãos e pelos pés e escoltado por agentes penitenciários e policiais militares. Ele é réu confesso de ter assassinado Nelson Eduardo, Admilson Ramos e Jerry Rodrigues, que estavam dentro de um automóvel na Rua São João, esquina com Coronel Martinho.
Em sua defesa, Daivid afirmou que vinha sendo ameaçado por uma das vítimas há mais de dois anos e que o assunto não teria nada a ver com o tráfico e sim motivos passionais. Ele afirmou categoricamente que efetuou sete disparos nas vítimas que estavam dentro do veículo, mas que não tinha intenção de matá-las. Daivid já havia cumprido pena por porte ilegal de armas em Divinópolis.
Daivid já estava cumprindo prisão preventiva há aproximadamente um ano. A condenação, de 36 anos, veio por júri popular. O advogado do réu afirmou que vai recorrer, uma vez que acha excessiva a pena de mais de três décadas.

 

 

Crime
O crime aconteceu por volta de 11h30. Um dos mortos tinha ligação com Carla Renata, famosa traficante da cidade que foi assassinada no início de 2013. De acordo com testemunhas, três indivíduos em duas motocicletas efetuaram diversos disparos contra as vítimas dentro de um carro.
Segundo a Polícia Militar, a arma utilizada para cometer o crime foi uma pistola 380. Dos vários disparos efetuados, apenas um acertou a lataria do carro, todos os outros atravessaram as janelas e atingiram os jovens. Os três morreram na hora.
Uma das vítimas, Nelson Eduardo Moreira Teixeira, conhecido como Nelsinho, era chefe do tráfico de drogas na cidade e marido de Carla. Os outros dois mortos, Admilson Ramos da Cruz e Jerry Rodrigues dos Santos, não possuíam registros na polícia.

 

 

Prisão
Daivid foi preso quase um mês após o crime no bairro Candelária, em Divinópolis. Com ele foram apreendidos 300 gramas de pasta base de cocaína, uma porção de maconha, material para embalar a droga, uma pistola calibre 380, mesmo calibre usado no crime, R$ 2 mil em dinheiro e uma motocicleta. Daivid permaneceu preso desde então.
Com a colaboração de Israel Silveira/O Popular

 

Crédito: Israel Silveira / O Popular
Crédito: Arquivo GO

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.