terça-feira, 20 de Setembro de 2016 14:41h Carina Lelles

Adolescente é morto por passar em local “proibido”

O suspeito do crime é um adolescente que faz parte de uma facção rival à da vítima
Na madrugada de sábado, um adolescente, de 17 anos, foi morto a tiros no bairro Valongo, em Cláudio. Um adolescente, de 16 anos, foi apreendido, suspeito de ser o autor do crime, que teria sido motivado porque a vítima passou em um local que não deveria.

De acordo com a Polícia Militar, populares denuncia­ram que uma pessoa havia sido baleada no bairro Va­longo. No local, os militares encontraram a vítima, que possui diversas passagens criminais, sem vida e testemu­nhas contaram que o suspeito do crime era um adolescente, de 16 anos, que também é conhecido no meio policial.

Ainda de acordo com a Po­lícia Militar, o crime está rela­cionado ao tráfico de drogas e que foi cometido por motivos fúteis, ou seja, a vítima estava passando por um bairro que, na opinião do suspeito, não poderia estar nesse local, por ser de outro bairro.

Foi realizado rastreamento e os militares tiveram notí­cia de que o suspeito havia corrido para uma residência no bairro Valongo. O local foi cercado e feita a apreensão do suspeito, que foi encaminhado para Delegacia de Divinópo­lis. A arma do crime não foi localizada.

PITANGUI

Um homem, de 26 anos, foi morto a tiros em Pitangui. O crime ocorreu na Rua Sarah de Abreu Machado, no bairro JK. A Polícia Militar recebeu denúncias informando sobre disparos de arma de fogo no bairro.

Testemunhas disseram que três suspeitos encapuza­dos chegaram em um carro e efetuaram vários disparos contra Gustavo Agostinho Costa Reis, no local, os milita­res encontraram a vítima ain­da com vida. Ela foi socorrida até o hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

Cinco cápsulas de arma de fogo pesada foram recolhidas pela perícia no local do crime. Ainda de acordo com a PM, a vítima tinha passagens pela polícia. A motivação e autoria do crime ainda são desconhe­cidas.

LAGOA DA PRATA

Em Lagoa da Prata, o corpo de uma mulher, que ainda não foi identificada, foi en­contrado carbonizado em um canavial. Trabalhadores realizavam a colheita, quan­do perceberam uma parte da plantação queimada.

Ao verem o que era, en­contraram o corpo e acio­naram a Polícia Militar. A perícia também foi acionada e, próximo à vítima, encon­trou uma prótese dentária e preservativo.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.