segunda-feira, 29 de Dezembro de 2014 09:39h Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil

Agentes penitenciários capixabas são alvo de operação contra tráfico de armas

A Polícia Federal (PF) e a Polícia Civil do Espírito Santo deflagraram hoje (29) uma operação contra o tráfico internacional de armas de fogo

Fruto de sete meses de investigação, a chamada Operação Arsenal II apura o suposto envolvimento de agentes penitenciários e policiais civis aposentados no esquema montado para fornecer armamentos a criminosos.

A partir de indícios apresentados pelos investigadores, a 2ª Vara da Justiça Federal em Vitória (ES) autorizou a prisão preventiva de 24 suspeitos. Também estão sendo cumpridos 24 mandados de busca e apreensão. Como o processo corre em segredo de Justiça, nem a PF, nem a Polícia Civil forneceram informações sobre os investigados.

Ainda assim, a PF confirmou que agentes penitenciários capixabas lideravam o esquema criminoso. Eles viajavam a Foz do Iguaçu (PR), onde obtinham armas e munições trazidas do Paraguai, e as transportavam para o Espírito Santo. No estado, as armas eram revendidas no mercado negro. O crime foi descoberto em junho deste ano, quando policiais civis flagraram integrantes do grupo transportando 20 armas de fogo e farta munição.

Os investigadores acreditam que o grupo atuava há pelo menos dois anos. A estimativa policial é de que mais de 500 armas de fogo, além de uma quantidade incalculável de munição, foram vendidas ilegalmente nesse período, o que pode representar movimentação em torno de R$ 4 milhões.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.