quinta-feira, 6 de Outubro de 2011 09:57h Atualizado em 6 de Outubro de 2011 às 11:17h. Paulo Reis

Aluno é esfaqueado no bairro Bela Vista

Aluno da escola CEFET e namorada são surpreendidos por assaltantes ao voltar para casa. O local é usado por diversas pessoas e a frequência de ações criminosas já estão se tornando comuns.

A tentativa de assalto aconteceu por volta das 17h30 da tarde de ontem (04), próximo à sede do CEFET (Centro Federal de Educação Tecnológica) no bairro Bela Vista. O estudante Olávio Guedes da Silva de 18 anos, após o término da aula, se encontrou com a namorada e os dois decidiram passar por uma trilha que dá um acesso mais rápido a rua Castro Alves, parte alta do bairro. A mesma trilha é usada por dezenas de moradores dos bairros daquela região como atalho e a presença de pessoas estranhas já havia sido registrada por algumas vezes.


Durante o percurso os estudantes foram surpreendidos por dois indivíduos, que segundo a vítima teriam aparentemente 18 e 15 anos. Os suspeitos anunciaram o assalto pedindo aos dois para que passassem o que eles tivessem de valor, Olávio ficou nervoso, jogou a pasta no mato e atacou o maior dos assaltantes que caiu ao chão, neste intervalo o assaltante menor se aproximou da namorada do estudante que ao ver a atitude do suspeito, instintivamente também o atacou sem preocupar se ele estaria armado ou não. Para se defender o infrator menor deu facadas no tórax de Olávio, que empurrou o menor dizendo que daria o dinheiro.


Em outro ponto da trilha apareceram mais dois homens que interromperam o suposto assalto dizendo “não vai roubar eles não, vocês não vão roubar não”. Diante da advertência os infratores fugiram e Olávio pode perceber que tinha sido ferido.


Ao notar a blusa ensanguentada, a namorada, a pedido do estudante, ligou para o pai da vítima.


Os alunos decidiram voltar para escola, onde Olávio recebeu os primeiros socorros. O Corpo de Bombeiros foi acionado e o levou para o Hospital São João de Deus. Segundo o médico que atendeu o estudante, uma das facadas próxima ao coração, teve cerca 10 cm de profundidade.


A assessoria de comunicação da escola afirma que já foram feitos diversos pedidos junto a prefeitura, para a abertura da trilha que dá acesso a rua Castro Alves, o que evitaria a volta que muitos precisam dar para chegar à instituição. O setor de comunicação ainda reforçou que a segurança interna é feita, mas o controle do que acontece na rua é difícil de se estruturar.


Os órgãos de segurança do município serão notificados quanto à realidade vivida não só pelos alunos e funcionários do CEFET, como também dos moradores e frequentadores do SEST/SENAT que estão localizados na rua Martin Cyprien. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.