terça-feira, 15 de Outubro de 2013 06:32h Luiz Felipe Enes

Bandido morre em troca de tiros com a PM

Um grupo disparou contra militares que revidaram. Um rapaz de 24 anos foi baleado e morto. Ele já tinha passagens pela polícia por tráfico e porte ilegal de armas.

Durante uma operação policial, iniciada no Bairro Nossa Senhora das Graças, em Divinópolis, houve trocas de tiro entre criminosos e a Polícia Militar. Samuel Henrique Vieira, de 24 anos foi baleado e morreu ao dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central, no domingo (13).
Segundo a PM, um patrulhamento de rotina era realizado no bairro Nossa Senhora das Graças, quando depararam com um Honda Civic, ocupado por alguns rapazes em atitudes suspeitas. A placa do veículo era de Ritápolis, no sul de Minas. Sendo identificado que tal veículo seria roubado.
Em meio à tentativa de abordagem realizada pela polícia, o condutor do veículo acelerou. O cerco foi formado e militares iniciaram perseguição ao referido automóvel. O condutor suspeito evadiu em alta velocidade sentido ao bairro Esplanada.
Através de uma fuga mal sucedida, os suspeitos abandonaram o veículo e tentaram fugir a pé pela rua Halim Souki, ainda no bairro Esplanada. Ao descer do carro, os rapazes efetuaram vários disparos contra os militares, que revidaram tal atitude dos criminosos.
Um dos disparos efetuados por um Policial Militar, atingiu fatalmente o suspeito Samuel Henrique Vieira, de 24 anos. A equipe de policiais, no momento da troca de tiros, era insuficiente para que ação policial transcorresse de forma harmoniosa e cautelosa. O apoio chegou minutos depois.
Assim que a situação estabilizou, a polícia iniciou a varredura no local e encontrou o rapaz já caído ao solo. Ele foi socorrido pelos próprios militares. O suspeito baleado foi encaminhado ao setor de emergência da UPA Central, mas não resistiu aos ferimentos. O disparo atingiu a região do braço, vindo o projétil a ficar alojado na região do tórax.
A perícia técnica compareceu ao local e realizou os trabalhos necessários. No interior do veículo foi encontrado um revólver calibre 22, carregado com sete munições e sem numeração aparente. O Honda Civic foi roubado no dia três de outubro, em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte.
Foram feitas buscas atrás dos outros suspeitos, contudo fugiram do local e ainda não foram localizados pela polícia. O carro foi apreendido e levado a um pátio. Samuel tinha diversos registros pela polícia, entre eles por tráfico de drogas, receptação e porte ilegal de armas de fogo.
A atitude dos policiais foi recriminada. Os envolvidos permanecem presos no 23° Batalhão de Polícia Militar em Divinópolis. Mas pelo fato de ter sido em legítima defesa, existem alguns fatores importantes. “O crime é registrado como homicídio. O fato de ter sido em legitima defesa exclui a ilicitude da conduta, mas não a tipicidade. Ou seja, a conduta de matar alguém (Art. 121, CP) aconteceu, mas não foi uma conduta ilegal, pois o legislador exclui a ilicitude nos casos de legítima defesa, estado de necessidade, estrito cumprimento de um dever legal e exercício regular de um direito, conforme consta no artigo 23 do Código Penal”, esclarece Soldado Jefferson Felipe.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.