sexta-feira, 7 de Março de 2014 05:19h

Bandidos se passam por agentes de saúde e aplicam golpe

A Secretaria Municipal de Saúde por meio da Coordenadoria da Atenção Primária pede atenção da população para um golpe que está sendo aplicado na praça. Desta vez.

A Secretaria Municipal de Saúde por meio da Coordenadoria da Atenção Primária pede atenção da população para um golpe que está sendo aplicado na praça. Desta vez, os criminosos se passam por profissionais de saúde para tirar dinheiro das vítimas.  Usando jalecos e portando aparelhos de glicemia, os estelionatários visitam residências oferecendo serviços de saúde e em seguida, intimidam moradores na tentativa de conseguir dinheiro.
Em uma ocorrência registrada na polícia, a vítima afirmou ter sido obrigada a se dirigir ao caixa eletrônico de uma agência bancária para sacar dinheiro. Segundo a coordenadora da Atenção Primária, Mary Alves Santana Vieira, a denúncia foi feita através de um boletim de ocorrência na Polícia Militar (PM). De acordo com a profissional, o alvo dos criminosos são os idosos. “A denúncia é que essas pessoas se apresentam usando jalecos brancos e aparelhos de glicemia. Ao entrarem na casa realizam o procedimento de controle da glicose e até apresentam o resultado do exame. Depois abusam e levam a vítima até o banco para sacar dinheiro, situação que já foi verificada no passado, de pessoas se passando por profissionais do setor de zoonoses. Por isso, estamos alertando a população para que sejam tomadas as devidas precauções”, esclarece.
Outra ação dos bandidos é que após apresentarem o resultado do exame de glicemia,  pedem ao morador para assinar uma documentação falsa, na qual alega uma liberação de remédios não oferecidos pelo SUS, que poderiam ser liberados pelo Governo de Estado mediante a assinatura.
A Secretaria Municipal de Saúde esclarece que as ações desencadeadas, geralmente por agentes comunitários e enfermeiros das unidades de saúde, são programadas e divulgadas junto à comunidade. “É importante que a população esteja atenta, pois sempre quando a secretaria programa uma ação e leva o profissional até a sua residência, é feita uma divulgação semanas antes. Outra forma de evitar é prestar atenção na identificação física da pessoa, pois geralmente os agentes comunitários e enfermeiros da unidade próxima aos bairros são os mesmos, já conhecidos pelos usuários” ressaltou Mary.
De acordo com o capitão da Polícia Militar, Marco Paulo de Oliveira Gontijo esse é o primeiro caso de golpes envolvendo a área da saúde. “Apesar de ser um novo método usado pelos criminosos, as orientações são as de sempre. As pessoas devem buscar identificar esse profissional e não permitir a entrada dele sem essa identificação, se achar necessário deve ligar na unidade de saúde da região ou na própria secretaria de saúde para confirmar a relação do indivíduo com o quadro de funcionários. Em qualquer situação estranha, acionar a polícia pelo 190 para identificarmos essas pessoas”, finaliza o capitão.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.