segunda-feira, 15 de Setembro de 2014 06:58h Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil

Bombeiros continuam busca a desaparecido em mina de Itabirito (MG)

Cães farejaram o local onde pode estar o corpo do operário desaparecido, depois do deslizamento de terra provocado pelo rompimento de uma barragem em mina da Herculano Mineradora, às margens da BR-356

Cães farejaram o local onde pode estar o corpo do operário desaparecido, depois do deslizamento de terra provocado pelo rompimento de uma barragem em mina da Herculano Mineradora, às margens da BR-356, em Itabirito, a 58 quilômetros de Belo Horizonte. Nada foi encontrado, mas as buscas continuam durante a noite desta sexta-feira (12), de acordo com informação do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

O trabalho de resgate dura três dias, feito por 20 bombeiros, com apoio de um helicóptero, um drone (avião não tripulado) e cães farejadores. Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, parentes do empregado desaparecido acompanham as buscas, em local reservado pela empresa Herculano Mineração, responsável pela barragem.

Os corpos de dois homens, um de 68 anos e outro de 32, foram encontrados no dia do acidente, mortos. De acordo com a corporação, os trabalhadores faziam a manutenção de uma barragem desativada, que continha lama e detritos de minério, quando ela se rompeu, por volta das 7h30 da última quarta-feira (10).

O Ministério Público de Minas Gerais abriu inquérito civil para apurar responsabilidades e as causas do acidente. Ontem (11), o promotor Carlos Eduardo Ferreira Pinto, da Promotoria de Meio Ambiente, e a promotora de Itabirito, Vanessa Campolina Rebello, estiveram na mina com equipe técnica para avaliar o local.

O Departamento Nacional de Produção Mineral, autarquia vinculada ao Ministério de Minas e Energia, interditou a mina no dia do acidente. A Herculano Mineração divulgou apenas uma nota lamentando o ocorrido e dizendo que "todas as medidas estão sendo tomadas no sentido de garantir a integridade de seus funcionários e minimizar os prejuízos à comunidade local e ao meio ambiente".

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.