terça-feira, 1 de Setembro de 2015 11:29h Atualizado em 1 de Setembro de 2015 às 11:30h. Carina Lelles

Briga entre gangues faz sete vítimas em Cláudio

As sete pessoas foram baleadas no fim de semana, uma morreu e outra está em estado grave e precisou de escolta para transferência de Hospital

A briga entre gangues rivais no tráfico de drogas pode ser a motivação para três crimes que deixaram sete pessoas baleadas em Cláudio neste final de semana. Um jovem, de 21 anos, morreu e o adolescente, de 13 anos, suspeito de ter cometido o crime, acabou baleado pelos rivais e teve que ser escoltado ao ser transferido para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.
De acordo com a Polícia Militar, tudo começou na madrugada de sábado, quando Albert Henrique Gonçalves da Silva, conhecido como “Anzol”, de 21 anos, foi baleado no Parque de Exposições da cidade. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu no Hospital.
Minutos depois da morte de Albert, Alef Henrique Ferreira da Silva, também de 21 anos, foi baleado em uma rua próxima ao Parque de Exposições. A vítima foi atingida por dois disparos na perna e contou aos militares que dois indivíduos se aproximaram e um deles disse: “ele é do Valom, atira”. Os suspeitos fugiram e não foram localizados.
Ainda segundo informações da Polícia Militar, os dois crimes estão relacionados, pois a turma do Anzol (do bairro São Bento) é rival da turma do Valom (do bairro Valongo). Uma testemunha afirmou que o autor do homicídio é um adolescente, de 13 anos, que faz parte da gangue do Valom.

 

Vingança
Na noite deste domingo, o adolescente, suspeito de matar Albert, estava sentado na Rua Sebastião Moreira, no bairro Valongo, na companhia de outras pessoas, quando um carro passou e os ocupantes atiraram diversas vezes contra ele e o grupo. Além do adolescente, outras quatro pessoas foram baleadas.
Duas vítimas se negaram a receber atendimento médico. Um jovem, de 21 anos, foi ferido no braço e passou por cirurgia para a retirada do projétil. A outra vítima, que não teve a idade revelada, sofreu ferimentos na nádega e perna esquerda. Segundo o médico que atendeu a vítima, por pouco não perdeu a vida, já que o disparo passou perto da veia femoral.
O adolescente foi atingido no tórax e o projétil atingiu a coluna e o pulmão. Ele passou por cirurgia e foi transferido em estado grave para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.
No local do crime, foram recolhidos vários projéteis de calibre 380 e de revólveres. Os bandidos que estavam no carro fugiram, mas foram identificados pelos militares como sendo todos com várias passagens, sendo um deles adolescente e já foi apreendido diversas vezes por homicídio, roubo, porte ilegal de arma, assalto e tráfico de drogas. Os demais ocupantes do veículo seguem a mesma ficha criminal, tendo como principal, o tráfico de drogas e o porte ilegal de arma de fogo.

 

Transferência
Para que as vítimas pudessem ser atendidas, a Polícia Militar teve que manter um esquema de segurança na porta e corredores da Santa Casa de Cláudio. Foram enviados para o local, cerca de 10 militares, duas motos e duas viaturas.
Após a cirurgia do adolescente, iniciou- se os preparativos para a condução da vítima para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, com segurança, já que os profissionais de saúde temiam que a ambulância fosse interceptada pelos bandidos.
De acordo com a Polícia Militar, em reunião ocorrida rapidamente na Santa Casa, foi montada uma estratégia de escolta. Os bairros Valongo e São Bento foram ocupados por viaturas da PM, a fim de se evitar novos casos. A ambulância UTI chegou ao destino sem qualquer imprevisto.

 

Créditos: Divulgação PM

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.