sexta-feira, 19 de Outubro de 2012 10:22h Erik Ulysses

Cantor sertanejo acusa prefeito de Oliveira de agressão

O cantor Vítor Hugo afirma ter sido agredido pelo prefeito de Oliveira, Ronaldo Resende Ribeiro na noite dessa quarta-feira. Segundo o cantor sertanejo, todo o problema começou quando foi contratado para realizar um show na cidade em comemoração aos 151 anos de Oliveira no dia 23 de outubro. De acordo com Vítor Hugo foi acertado que o pagamento seria feito de forma integral no dia 10 de outubro. Contudo o cachê não teria sido pago.

 


O cantor então, juntamente com a sua assessora, saiu de Belo Horizonte e foi até a cidade de Oliveira. “A gente foi na cidade ontem e logo que chegamos fomos à prefeitura. A minha assessora subiu para conversar com o secretário da fazenda da prefeitura. Como o prefeito não estava na prefeitura e eu saí de Belo Horizonte para ir a Oliveira resolver isso, eu precisava resolver. Eu liguei para o prefeito, ele disse que estava um pouco ocupado” contou. Ele afirmou ainda que um encontro havia sido marcado na casa do prefeito na noite de quarta-feira.

 


O cantor e sua assessora foram para a casa do prefeito, onde segundo o cantor foram recebidos pelo advogado do prefeito, que explicou que o mesmo não se encontrava. “Fomos até a casa dele. O advogado dele atendeu a porta e falou que ele não estava. Eu e minha assessora então conversamos com ele, explicamos toda a situação, dissemos que precisávamos de um parecer, uma posição. Como iriam fazer, se pagariam daqui a dez dias, 15 dias, 30 dias? Dissemos que nós precisávamos de uma resposta, porque somos profissionais, prestamos um serviço e a coisa tem que ser profissional. Precisávamos ao menos de uma satisfação” afirmou Vitor Hugo. O advogado teria dito então que a única coisa que poderia fazer por ele era marcar uma reunião para as 14 horas de ontem, o que teria sido aceito pelo cantor.

 


Quando Vitor Hugo e sua assessora estavam indo embora, o prefeito teria saído de dentro da casa, visivelmente bêbado e agredindo os dois. “Quando já estávamos vindo embora  o prefeito saiu da casa dele, visivelmente bêbado e começou a dar chute, pontapé, empurrão em mim e em minha assessora. Para evitar um mal maior, e também para não criar nenhum problema ou não perder a razão eu preferi virar as costas, correr e entrar no meu carro” falou o cantor. Vitor Hugo foi até a Delegacia e registrou um Boletim de Ocorrência contra o prefeito.

 


O assessor do prefeito e diretor de eventos da cidade, Samuel Correia, negou as acusações e afirmou que o cantor foi até a casa do preito por volta das 21h30, sem existir qualquer reunião marcada. O prefeito teria então pedido para que ele se retirasse de sua casa, já que aquele horário não era comercial, e o cantor teria então se sentido ofendido. “O prefeito falou que era para ele ir embora, que era para sair da porta da casa dele, porque ele estava na hora de lazer dele, na casa dele. Ele então se sentiu ameaçado e fez o B.O. Foi isso” afirmou o assessor.

 


Samuel afirmou ainda que o pagamento do show foi programado em três parcelas, uma em setembro, a outra em outubro e a terceira em novembro. Ele explicou que a parcela de outubro realmente está atrasada, uma vez que a verba que seria destinada para o pagamento ainda não foi liberada. Segundo ele a prefeitura não tem sequer contrato assinado com ele, uma vez que o show foi realizado através de uma empresa. “A prefeitura não tem nenhum contrato com o cantor.

 

Ele fez o show através de uma empresa. E ele veio pessoalmente aqui para receber” concluiu.
O cantor sertanejo e a sua assessora retornaram para Belo Horizonte, mas o advogado continuará mantendo contato com a prefeitura da cidade para que o caso seja resolvido. Samuel Correia disse que ele e o prefeito irão processar o cantor por calúnia e difamação.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.