sábado, 10 de Novembro de 2012 04:07h Erik Ulysses

Cão adotado por militares é como um mascote da 7ª RPM

O soldado Thiago Bosque contou que Braddock chegou à sede da 7ª RPM há mais de um ano, vindo provavelmente do clube da prefeitura, e gostou tanto do local que não quis sair mais de lá.

Quem já foi até a sede da 7ª RPM na Avenida JK ou passou em frente a ela é provável já ter notado que entre as dezenas de militares que trabalham diariamente no local existe um cachorro que está sempre presente. Seja de forma vigilante sentado em frente ao prédio, seja deitado próximo aos bancos da recepção, o cão Braddock é companhia constante dos militares.

 


O soldado Thiago Bosque contou que Braddock chegou à sede da 7ª RPM há mais de um ano, vindo provavelmente do clube da prefeitura, e gostou tanto do local que não quis sair mais de lá. Os militares então adotaram o cachorro que até então vivia na rua. “Ele chegou aqui mais ou menos em abril do ano passado, mas a data certinha a gente não sabe. Ele veio caminhando do clube da prefeitura e parou aqui e o pessoal simpatizou. Ele gostou do local e nós o adotamos aqui” contou o soldado.

 


O soldado contou que o nome Braddock surgiu em homenagem ao personagem de filmes de ação da década de 80 interpretado por Chuck Norris. O coronel James Braddock era um oficial do exército dos Estados Unidos que lutava na Guerra do Vietnã.

 


O cachorro é como um mascote para os policias militares. Por muitas vezes Braddock fica em posições de alerta em frente ao prédio da Polícia, o que faz parecer que ele está vigiando o lugar. “No nosso caso aqui tratamos como se fosse um mascote mesmo, porque ele é muito alerta. Então é um motivo a mais para ficarmos mais atentos. Mas ele fica mais na rua. Então, o pessoal que passa fazendo caminhada agrada demais do cão, porque ele dá a impressão que ele está vigiando o quartel mesmo” garantiu.

 


Braddock gosta tanto da 7ª RPM que só deixa o local em duas situações. A primeira é para fazer caminhada com um casal todas as manhãs e a segunda para acompanhar os militares quando estes deixam a 7ª RPM. “Ele sai uma vez por dia para fazer caminhada com um senhor que chega por volta das oito horas da manhã, ele e a esposa dele. E só sai com os dois e mais ninguém. De vez em quando um policial sai fardado aqui, na hora que ele está indo embora, e ele segue o policial até a esquina e volta para cá” afirmou.

 


As pessoas se simpatizam tanto com Braddock que levam ração para o cachorro, vasilhas de comida e até roupas. “A roupa é ideia de populares. O pessoal que passa aqui pergunta se pode colocar uma roupinha nele. Aí eles trazem e colocam a roupa. Tem uma senhora dona de um pet shop que vem cá toda segunda-feira e pega ele para dar o banho. E toda vez que ele vai ao pet shop ele volta com uma roupinha diferente. Mas as coisas são todas de populares mesmo, As roupas, a ração, ás vezes as próprias vasilhas de comida dele. O pessoal que passa na rua simpatiza com ele e o acham legal” falou.

 


Devido à popularidade que Braddock conquistou com a população surgiu a ideia de se fazer um perfil nas redes sociais para o cão. O soldado Bosque explicou que além da brincadeira de postar fotos do cachorro a rede social de Braddock também é utilizada como uma ferramenta para a conscientização das pessoas em relação ao trato com os animais. “A questão do facebook foi mais uma brincadeira mesmo do pessoal. Mas muitas vezes nós chamamos a atenção para algumas questões mais voltadas para a doação de cães. Postamos fotos, divulgamos alguns maus tratos a animais que costumamos presenciar, até mesmo compartilhamentos do próprio facebook relacionados a isso” concluiu.

 


Quem quiser adicionar o cão mascote entre os amigos no Facebook é só procurar por Braddock Filho na rede social. E que quiser conhecê-lo é só passar em frente a sede da 7ª RPM, que ele provavelmente estará lá.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.